10 de fevereiro: Dia do Atleta profissional

As várias modalidades esportivas passaram a ser tratadas com efeito profissional no ano de 1998, depois que foi sancionada a Lei nº 9615


Na escola, entre amigos ou mesmo no ceio familiar, muitas crianças já demonstram a vontade ou mesmo vocação para com a prática esportiva. Seja mostrando intimidade com a bola de futebol, basquete ou vôlei, ou até, quem sabe, com outras modalidades, a exemplo da ginástica artística e da corrida.

Em todas essas situações, o incentivo dos pais e a forma com que tudo isso está sendo tratado será determinante para que a criança tome gosto pela coisa, lutando para tornar-se um atleta profissional. Levando essa vocação em consideração, o dia 10 de fevereiro marca no calendário o dia dedicado a esses heróis: os atletas profissionais.

Legislação

As várias modalidades esportivas passaram a ser tratadas com efeito profissional no ano de 1998, depois que foi sancionada a Lei nº 9615, em 24 de março.

10 de fevereiro: Dia do Atleta profissional

Foto: depositphotos

Com isso, ficou estabelecido que as entidades de prática desportiva que contavam com corredores, nadadores, judocas, jogadores de vôlei de quadra e de praia, iatistas, tenistas e jogadores de futebol realizassem um contrato formal de trabalho.

Isso fez com que os atletas fossem elevados ao seu lugar de direito, sendo tratados como profissionais. Para os atletas, isso acabou funcionando como reconhecimento de todo o esforço e dedicação aos treinos e as competições.


A figura do atleta na história da humanidade

As primeiras competições que se tem notícia na história da humanidade foram as realizadas pelas civilizações do Egito e Mesopotâmia. Segundo algumas fontes literárias e iconográficas há registro de certas atividades esportivas sendo praticadas há 3.000 a.C.

Em Olímpia, na Grécia Antiga, os Jogos Olímpicos da Antiguidade foram praticados por mais de mil anos. Os competidores eram atletas profissionais que chegavam a Olímpia um mês antes do início oficial dos Jogos para se submeter a um treinamento moral, físico e espiritual, sob a supervisão dos juízes.

Na época, as competições eram restritas ao público masculino, sendo terminantemente proibida a participação de mulheres. Outra curiosidade em relação aos Jogos Olímpicos da Antiguidade é que os atletas competiam pelados e os grandes vencedores eram vistos como heróis.

No ano de 1896, depois de ter passado um longo período sem ser realizada, a Olimpíada voltou a acontecer. A esse retorno, dá-se o crédito ao Barão Pierre de Coubertin. Com os Jogos Olímpicos da Era Moderna, a concepção do espírito competitivo passou a preponderar entre os atletas.

Desde então, seja em olimpíadas, maratonas, torneios, copas e todo o tipo de competições, os atletas são a grande atração. Eles são vistos como ídolos, modelos e inspiração para as futuras gerações. De tudo isso, o que se toma como lição, sobretudo na participação em competições, é o simples prazer de competir e dar o melhor de si.