Publicado por Katharyne Bezerra

No dia 8 de maio de 1828, nasceu em Genebra o filantrópico Henry Dunant, que foi cofundador da organização de ajuda humanitária conhecida como Cruz Vermelha. Devido ao nascimento do suíço ter sido nesta data, ela ficou conhecida como Dia Mundial da Cruz Vermelha.

Quatro anos antes de fundar a organização, Dunant já dedicava sua vida para ajudar as pessoas que precisavam. De acordo com o site oficial da instituição, em 1859 o filantrópico cruzou o norte da Itália para socorrer soldados feridos na batalha de Solferino, independentemente da nacionalidade dos militantes.

Já em 1863, com o apoio do governo suíço e de outros quatro amigos, Henry Dunant fundou “a mais importante instituição de ajuda humanitária do mundo”, conforme é dito no portal da organização.

Fundamentos da Cruz Vermelha

O símbolo do grupo é uma cruz de cor vermelha, que remete aos primeiros socorros

Atualmente, a Cruz Vermelha está presente em 190 países (Foto: depositphotos)

O Movimento Internacional é composto por três membros: o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e o conjunto das 190 sociedades nacionais que compõem a Federação”, explica o institucional da organização.

Atualmente, a Cruz Vermelha está presente em 190 países. As principais formas de ajudar é cuidando das populações que sofrem com catástrofes, doenças, guerras, fome, pobreza e outros tipos de violência.

Veja também: Conhecendo a Organização Mundial de Saúde (OMS)

A organização é composta por sete princípios fundamentais, são eles: Humanidade, Imparcialidade, Neutralidade, Independência, Voluntariado, Unidade e Universalidade.

O símbolo do grupo é de realmente uma cruz de cor vermelha, remetendo aos primeiros socorros, que é basicamente o tipo de trabalho oferecido pelas unidades espalhadas pelo mundo.

Origem da organização no Brasil

A unidade brasileira da Cruz Vermelha foi fundada em 5 de dezembro de 1908. Desde a criação, a organização no Brasil tem como propósito diminuir ao máximo o sofrimento humano, independentemente da religião, condição social, opinião política, raça e gênero.

“É uma associação civil, sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, independente, declarada pelo governo brasileiro de utilidade pública internacional, de socorro voluntário, auxiliar dos poderes públicos e, em particular, dos serviços militares de saúde”, expressa a organização em texto institucional.

Veja também12 de Maio: Dia Mundial da Enfermeira

Veja mais!