Publicado por Katharyne Bezerra

Juntar moedas é sempre uma boa alternativa de economia, pois durante um certo tempo o cofrinho fica cheio e dependendo do tipo de moeda selecionada, há como tirar uma boa quantia deste processo.

Atualmente, no Brasil, existem cinco moedas de valor em circulação, são elas: cinco centavos, 10 centavos, 25 centavos, 50 centavos e as de R$ 1. Além das moedas, há também cédulas que circulam na economia brasileira. Todos estes itens de valor são produtos do trabalho feito na Casa da Moeda do Brasil (CMB), uma empresa estatal que surgiu desde a colonização.

Por ter um papel fundamental na economia brasileira, tendo em vista que é onde se fabrica o dinheiro que circula no território nacional, a CMB possui um dia em sua homenagem durante o ano. Dividindo a data com o Dia Internacional das Mulheres, todo dia 8 de março.

8 de março: Dia da Criação da Casa da Moeda

Foto: depositphotos

Como surgiu esta homenagem?

O dia 8 de março é uma referência para a CMB pois simboliza o dia em que ela foi criada. Por esta razão, nesta data, comemora-se o Dia da Criação da Casa da Moeda. Fundada em 1694, pelo rei de Portugal D. Pedro II, a instituição funcionava primeiramente em Salvador.

Logo no início, de acordo com o site oficial da Casa da Moeda, o objetivo da empresa estatal era viabilizar a produção de moedas que funcionassem em todo o território brasileiro. E durante toda a sua história passou por diversos cunhadores, sendo o primeiro deles: José Berlinque.

A representatividade da CMB foi tanta que, um ano depois de sua instalação, ela já havia proibido o uso de moeda da metrópole no território do Brasil. Quem utilizasse estaria sujeito à punições.

Características da CMB atual

Com o passar do tempo, a atuação da Casa da Moeda do Brasil tomou proporções maiores e por isso necessitou de um espaço que contribuísse com esse crescimento. Por esta razão, um complexo industrial foi criado em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Segundo o portal da CMB, trata-se de um dos maiores do mundo neste segmento.

Assim, durante mais de 300 anos, a empresa produz para o Brasil não só as moedas e cédulas, mas também outros produtos de segurança, a exemplo dos passaportes com chips e os selos fiscais.

Veja mais!