Publicado por Débora Silva

O continente africano é dividido em 55 países que são reconhecidos pela sua grande diversidade, que vai desde a sua natureza até as sociais e históricas. Infelizmente, este continente tão belo e diversificado também apresenta muitos problemas, como áreas desérticas, doenças, fome e guerras civis.

Um dos problemas históricos mais consideráveis da África é o apartheid, tema deste artigo, com a discriminação e segregação dos povos.

O que foi o apartheid?

O apartheid foi um regime de segregação racial adotado pelos sucessivos governos do Partido Nacional na África do Sul, entre os anos de 1948 e 1994. Durante o período de mais de quatro décadas, os direitos dos negros – maioria da população – foram limitados pela minoria branca que formava o governo. Um regime de segregação racial ocorre quando determinados direitos de toda uma sociedade são negados a um grupo específico em razão de sua raça.

Na África do Sul, a segregação racial surgiu ainda no período colonial, entretanto, o apartheid como política oficial foi adotado após as eleições gerais de 1948.

O apartheid foi o maior episódio de discriminação na África do Sul, que é um país formado majoritariamente por negros.

Imagem do ex-presidente africano Nelson Mandela um dos que militou contra o apartheid

Foto: Matthew Willman/ The Nelson Mandela Foundation (NMF)

Durante este triste e longo período, o governo sancionou algumas leis absurdas que privaram os negros de diversos direitos:

  • O casamento entre negros e brancos era completamente proibido;
  • Foram criados bairros apenas para os negros, que eram chamados de bantustões;
  • Todos os cidadãos sul-africanos deveriam ter uma declaração de registro de cor;
  • Algumas regiões das cidades eram permitidas apenas para a circulação dos brancos;
  • Um sistema educacional diferenciado foi criado para crianças e jovens negros. Neste sistema, eles “aprendiam” que deveriam ser trabalhadores braçais a vida inteira;
  • Os negros foram proibidos de utilizarem algumas instalações públicas, como banheiros e bebedouros.

A resistência ao apartheid

O apartheid causou uma série de revoltas populares e protestos que baniram a oposição e detiveram os líderes antiapartheid. A desordem se espalhava cada vez mais violenta.

Em 1912, foi fundado o Congresso Nacional Africano, com a finalidade de defender os direitos dos negros. No entanto, durante um protesto contra as leis do livre trânsito, ocorreu o triste episódio de Sharpeville, que resultou na morte de 69 negros e mais de 180 feridos.

Nelson Mandela, uma das principais figuras da oposição ao apartheid, percebeu que precisaria tomar outras medidas. A partir daí, outros protestos surgiram e o CNA obteve o apoio da ONU. Ainda assim, Mandela foi preso.

O fim do apartheid apenas ocorreu devido ao boicote à África por parte de outros países. A população teve o seu desejo de ver o fim do regime de segregação racional com o presidente Frederick de Klerk, no ano de 1991.

Nelson Mandela foi liberado da prisão e, mais tarde, tornou-se presidente daquele país.

Veja mais!