Publicado por Débora Silva

O texto dissertativo é um tipo de texto argumentativo e opinativo, em que o autor expõe a sua opinião sobre determinado assunto ou tema. Existem algumas regras que devem ser seguidas na construção deste texto, e uma delas é a impessoalidade, tema deste artigo.

O que é impessoalidade?

Na construção de uma dissertação, o autor faz um esforço para se distanciar do assunto abordado, isto é, ele faz uso da “impessoalidade”. Nos textos argumentativos, como a dissertação, uma das regras é escrever com impessoalidade, porque esta característica proporciona maior credibilidade ao texto.

Como já foi exposto, no texto dissertativo, o que prevalece é a opinião do autor, com a exposição de suas opiniões a respeito de determinado assunto que envolva discussões.

A impessoalidade no texto dissertativo

Foto: Pixabay

Observe as frases a seguir:

Eu acho que precisamos ter cuidado, pois a violência cresce a cada dia.”

Na minha opinião, precisamos ter cuidado, pois a violência cresce a cada dia.”

Veja bem, se um texto dissertativo já é, em si mesmo, um tipo de texto no qual o autor expõe o sua opinião, torna-se desnecessário marcas como “eu acho” e “na minha opinião”.

Teremos a impessoalidade no uso dos verbos na 3ª pessoa do singular e do plural (geralmente acompanhados do pronome “se”). Também é recomendada a utilização da 1ª pessoa do plural, que é mais impessoal do que a primeira pessoa do singular.

É importante ressaltar que, caso tenha começado a escrever o texto usando uma pessoa gramatical (1ª ou 3ª), deve permanecer assim até o final, para não mudar os pontos de vista defendidos na argumentação.

Maior impessoalidade no texto dissertativo

Para dar maior impessoalidade ao texto, deve-se seguir as seguintes orientações:

  • Substituir expressões como “eu acho”, “na minha opinião”, “do meu ponto de vista” etc., por outras mais gerais, como “é bom lembrar”, “é preciso considerar”, “é importante”, “convém observar” e outras;
  • Evitar ao máximo o uso da primeira pessoa do singular. Assim, em vez de o autor escrever “Considero que as contribuições sociais foram importantes para…”, deve optar por “As considerações sociais foram importantes para…”. Ou seja, o autor deve ser mais direto, não há a necessidade de usar a primeira pessoa, pois já se sabe que se trata de um texto essencialmente opinativo;
  • Indeterminar o sujeito. Neste caso, são duas as opções: o autor pode suprimir o sujeito e colocar o verbo na 3ª pessoa do plural ou usar o verbo intransitivo ou transitivo indireto ou de ligação + pronome “se”.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)

Veja mais!