Publicado por Robson Merieverton

Usada para marcar os pontos cardeais, ajudando as pessoas a se localizarem, a rosa dos ventos é um importante instrumento que teve origem na época das grandes navegações.

Ela desempenha função tão importante na localização que é utilizada até hoje, inclusive em mapas e cartas náuticas.

Seu desenho em forma de estrela tem a finalidade de facilitar a visualização com o balanço da embarcação. A rosa dos ventos é formada por quatro pontos cardeais leste, norte, oeste e sul, representado, respectivamente, pelas letras E, N, O e S.

Entre esses pontos, tido como os principais, também são identificados os pontos colaterais: nordeste (NE), noroeste (NO), sudeste (SE) e sudoeste (SO).

A importância da rosa dos ventos e como ela funciona

Foto: depositphotos

Na rosa dos ventos também estão representados os pontos subcolaterais: lés-nordeste (ENE), lés-sudeste (ESSE), su-sudeste (SSE), nor-nordeste (NNE), nor-noroeste (NNO), su-sudoeste (SSO), oés-sudoeste (OSO) e oés-noroeste (ONO).

Origem das rosa dos ventos

A rosa dos ventos foi inventada por volta do século XIV. Sua origem se confunde com o início das navegações pelo mar mediterrâneo. Ela foi usada como instrumento de função cartográfica utilizada para indicar a posição dos ventos: as direções dos oito ventos principais, dos oito ventos secundários e dos dezesseis ventos complementares (totalizando 32 direções).

Inicialmente, o instrumento tinha outros formatos. O formato que é usado até hoje é creditado aos portugueses. No ano de 1302, Flávio Gioia alterou a bússola para ser usada a bordo, usando a agulha sobre um cartão com o desenho de uma rosa-dos-ventos.

O termo “Rosa dos Ventos”, surgiu justamente devido à semelhança dos pontos cardeais com as pétalas das rosas.

Sobre a identificação dos pontos da rosa dos ventos

Os rumos ou as direções dos ventos que possibilitou a identificação dos pontos, têm origem na antiguidade. Os gregos foram os primeiros a identificar essas direções, tendo descoberto doze rumos.

No início do século XVI, foram descobertos mais quatro rumos, totalizando 16. Na época do Infante Dom Henrique já se usavam as rosas dos ventos com 32 rumos. Depois de muito tempo que ouve a dissociação da direção dos ventos para os pontos cardeais.

Veja mais!