Publicado por Robson Merieverton

Qual é a criança que não gosta de brincar com fogos de artifício no período junino? Essa é uma resposta fácil porque é quase que unanimidade o encantamento e diversão que esses materiais causam nelas. Seguindo essa linha de raciocínio, você já parou para perguntar onde os fogos de artifício surgiram? Caso ainda não, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre a história deles.

Indícios históricos apontam a Ásia como provável berço da pirotecnia, já no período da Pré-História. Embora, um dos principais componentes dos fogos de artifício, a pólvora, tenha sido fabricada pela primeira vez, por acaso, na China há cerca de 2000 anos. Um alquimista chinês juntou enxofre, nitrato de potássio, carvão e aqueceu a mistura. Esta mistura secou como um pó negro. Quando queimado o pó apresentou grande desprendimento de fumaça e chamas.

A pólvora foi empregada como projéteis explosivos em armas elementares de bambu e ferro, desde o ano de 1304. Acredita-se que a utilização pacífica do material só tenha ocorrido no século XVII em minerações e construção de estradas. Já os chamados fogos de artifício datam de alguns milhares de anos antes de Cristo, isto é, em uma época muito anterior ao conhecimento da pólvora.

A origem dos fogos de artifício

Foto: Depositphotos

Antes da chegada dos fogos de artifício na Europa, a pirotecnia passou pelos indianos, árabes e gregos. A criação deles foi um marco na evolução e na história da química. A partir do avanço dos estudos, os cientistas descobriram novos elementos, dando suporte a teoria de que o aquecimento dessas substâncias revelavam novas características, resultando no processo que, mais tarde, daria coloração aos fogos.

A arte de construção de fogos de artifício foi muito desenvolvida na Arábia no século VII, sobretudo pelo fato de os sais oxidantes de potássio serem bastante utilizados pelos alquimistas do Islã. Depois, somado a pólvora, acresceu-se o magnésio e alumínio. Estes metais permitiam a obtenção de um brilho e efeitos luminosos.

Desvendando os fogos de artifício

Conheça os elementos químicos que dão as cores aos fogos de artifício: Sódio – Amarelo; Lítio – Vermelho; Bário – Verde; Potássio – Azul ou púrpura; Magnésio – Branco ou prata; Cobre – Azul; Estrôncio – Vermelho; Cálcio – Amarelo; Alumínio – Branco; Ferro – Dourado e Metanol – Incolor.

Fogos de artifício no Brasil

Apesar de ser um material perigoso, os fogos de artifício são usados em várias celebrações, entre elas o São João e o réveillon. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de fogos de artifício, perdendo apenas para a China. O município de Santo Antônio do Monte, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, é o maior produtor do país. A cidade é responsável por aproximadamente 51% da produção brasileira de fogos de artifício.

Veja mais!