Publicado por Katharyne Bezerra

Você já deve ter assistido o filme “Procurando Nemo”, não é verdade? Bom, em uma das partes do filme o pai de Nemo e amiga Dora passam por dificuldades ao atravessarem uma multidão de águas-vivas. Mas, logo percebem que a parte superior da cabeça desses animais não queima, ao contrário dos tentáculos.

De fato, as substâncias venosas existentes nesses seres vivos só estão presentes nos tentáculos, eles, por sua vez, servem para capturar as presas que irão ser o alimento desses animais. Em contrapartida, os seres humanos podem se ferir, caso se aproximem desta parte do corpo das águas-vivas. Causando ardência, coceira, lesões na pele, entre outros.

O que são águas-vivas?

As águas-vivas são animais marinhos, invertebrados que fazem parte do grupo dos cnidários. O corpo delas possui um formato que lembra um guarda-chuva, tendo a boca localizada na parte inferior do corpo, onde também ficam os tentáculos. Ainda com relação a estrutura física desses seres vivos, eles são transparentes e possuem um corpo gelatinoso.

Esses animais também desempenham um papel importante na cadeia alimentar, pois servem de alimento para as tartarugas e se alimentam de larvas a adultos de crustáceos e peixes, ajudando no equilíbrio marinho.

Acidentes com águas-vivas

Foto: Pixabay

A presença de milhões de células denominadas nematocistos é responsável pelas substâncias tóxicas presentes nos tentáculos das águas-vivas. Existem, portanto, quatro tipos de tentáculos, mas apenas dois deles fazem algum mal ao ser humano. Um deles é chamado de penetrante, pois perfura a pele e injeta a peçonha. O outro, do tipo envolvente, consegue se enrolar nos pelos da pele, e quando o atingindo coça ou esfrega, o elemento tóxico penetra na pele.

Sintomas dos acidentes provocados pelas águas-vivas

  • Grande irritação na área afetada;
  • Vômitos;
  • Dores de cabeça e abdominais;
  • Intensa sensação de queimadura;
  • Sensação de constrição na garganta;
  • Convulsões e cãibras;
  • Insuficiência respiratória e arritmias cardíacas;
  • Coceira;
  • Paralisia do sistema nervoso central;
  • Lesões na pele.

Como reagir ao ser atingido por uma água-viva?

Primeiramente, o paciente deve manter a calma e sair imediatamente do mar. Em seguida, lave a região afetada com água salgada e nunca com a doce ou álcool, caso contrário os nematocistos que ainda não foram ativados serão depois dessa prática. É importante lembrar de não esfregar com nenhum objeto e muito menos com a mão, para que não ocorra o mesmo caso anterior.

Para retirar os tentáculos que ficaram presos na pele use uma pinça ou qualquer outro objeto com cuidado, mas nunca use a mão. Depois lave a região com vinagre, ele ajuda a neutralizar as substâncias tóxicas, porém não alivia a dor, para isso, tome alguns analgésicos.

Essas são algumas dicas de primeiros socorros, entretanto nenhuma delas substitui o atendimento médico. Sempre procure um profissional da saúde, pois é o único apto para ajudar com maior precisão nesses casos.

Veja mais!