Publicado por Prof. Luana Polon

Entenda o que é o agronegócio e saiba qual é a sua importância para a economia brasileira e para a política de importação e exportação. Saiba também quais são as principais críticas em relação a este setor da economia. Essas e outras questões você acompanha a seguir!

O agronegócio, também conhecido como agribusiness, é a área da economia que envolve, de modo geral, a agricultura (cultivo de grãos, legumes, frutas, etc.), a pecuária (criação de gado), e as atividades que estão ligadas a estas, como as agroindústrias, a fabricação de máquinas e equipamentos agrícolas, entre outros.

O agronegócio, portanto, abrange toda cadeia produtiva em sua dimensão econômica, desde os insumos (produtos) utilizados nas atividades agrícolas e pecuárias, como fertilizantes e agrotóxicos, até a rede de transportes, a comercialização e o consumo dos produtos finais.

O agronegócio é considerado como o fator propulsor principal da economia brasileira na atualidade, sendo o Brasil considerado como um país de economia agropecuária.

O que é o agronegócio?

O agronegócio tem sido tratado como uma verdadeira riqueza do Brasil, isso por causa da expressividade das atividades agropecuárias na economia brasileira. O agronegócio é um conceito que define as questões financeiras envolvidas nas atividades da agricultura e da pecuária.

Colheita

O Brasil é considerado como um país de economia agropecuária (Foto: depositphotos)

A agricultura é a atividade do cultivo, que pode ser de grãos (soja, milho), mas também de frutas, legumes e verduras. Este tipo de cultivo pode ser desenvolvido para a alimentação humana de forma direta (supermercados, feiras) ou para alimentação de rebanhos (bois, cabras, porcos, etc).

A pecuária é a atividade de criação de rebanhos bovinos (bois e vacas), estendendo-se o conceito também para os demais tipos de rebanhos, suínos (porcos), ovinos (ovelhas e carneiros), caprinos (cabras e bodes), equinos (cavalos), muares (mulas), asininos (jumentos) e também bufalinos (búfalos).

Os rebanhos bovinos são os mais comuns no Brasil, e têm como base a criação de gado de corte (carne) e leiteiro (leite e seus derivados).

O agronegócio envolve as atividades desenvolvidas tanto na agricultura, quanto na pecuária, abrangendo todas as suas etapas. Ou seja, toda cadeia produtiva agropecuária é a base do agronegócio, também chamado de agribusiness.

Atividades desenvolvidas

O objetivo central do agronegócio é o de aumentar o desenvolvimento agropecuário, envolvendo a cadeia produtiva como um todo.

São pensadas, neste sentido, medidas para viabilizar o aumento da produção, criação de soluções nos transportes para diminuir as perdas, estabelecimento de acordos nacionais e internacionais de comércio, negociações diante da legislação existente para beneficiar o setor.

Importância do agronegócio

O agronegócio tem uma importância muito grande para a economia do Brasil, e também para os demais países do mundo que têm uma economia fundamentada na agropecuária.

Em termos de economia, este segmento é responsável pela maior porcentagem das exportações brasileiras, destacando-se a produção e exportação de soja, açúcar, café, suco de laranja, bem como o tabaco, a carne de frango e o milho.

No caso do Brasil, nenhuma outra modalidade de negócio fez tanto sucesso como o agronegócio nos últimos anos, sendo ele considerado um dos fatores mais importantes e determinantes para a trajetória de crescimento econômico brasileiro.

O agronegócio tem um peso importante em dados da economia brasileira, como o Produto Interno Bruto (PIB), tendo variações todos os anos em conformidade com o sucesso da safra e com a fluidez das exportações.

Agronegócio e a abrangência dos três setores da economia

O agronegócio vem crescendo muito no Brasil, superando, inclusive, o peso econômico do setor industrial, fazendo com que este seja considerado como o motor da economia nacional.

Vários são os fatores que promovem este crescimento, especialmente o elevado uso de tecnologias modernas no setor agrícola e na pecuária. A qualificação dos trabalhadores da área, com formação cada vez mais especializada, também é um fator de destaque.

Plantação

A agricultura é a atividade do cultivo, que pode ser de grãos, frutas, legumes e verduras (Foto: depositphotos)

O agronegócio abrange os três setores da economia, sendo que o primário é envolvido por meio da produção rural, o secundário pelas agroindústrias e indústrias de insumos agrícolas, e o terciário pelo transporte e comercialização dos bens agropecuários.

A integração do agronegócio entre os três diferentes setores de atividades fez com que ele estivesse diretamente associado ao processo de modernização agrícola, o qual envolve o uso de maquinários complexos, compostos químicos, além de conhecimentos científicos, como é o caso da biotecnologia, por exemplo.

Críticas

O agronegócio gera muitas discussões entre seus defensores e aqueles que são contra algumas características do segmento.

As principais críticas estão relacionadas aos problemas socioambientais ocasionados pela expansão da fronteira agrícola brasileira, processo este no qual diversas áreas naturais estão sendo destruídas e devastadas, como é o caso do bioma Cerrado e da Floresta Amazônica.

Os conflitos sociais são marcantes também em relação ao agronegócio. Além da devastação das áreas naturais, povos tradicionais, como indígenas e quilombolas, são expropriados de suas terras, inclusive com uso de violência.

De um lado, diante da modernização do agronegócio, estão as grandes corporações multinacionais e um grande número de trabalhadores contratados, do outro, tem-se uma quantidade bem expressiva de pequenos produtores rurais que acabam marginalizados diante das políticas governamentais de crédito e apoio técnico à produção.

Outros fatores também geram questionamentos, como a presença de latifúndios improdutivos (grandes extensões de terras, onde os solos já foram amplamente degradados), o uso demasiado de produtos químicos (agrotóxicos, fertilizantes, etc.), a contaminação dos recursos hídricos, a oferta de produtos alimentícios com excesso de componentes tóxicos, dentre outros.

As discussões sobre o agronegócio no Brasil são acaloradas, envolvendo, inclusive, o campo político e os meios de comunicação. As justificativas de ambos os lados (os que defendem e os que criticam) são legítimas de seu ponto de vista, pois estão envolvidas questões econômicas, dos trabalhadores e seus direitos, da necessidade de preservação da natureza, da saúde dos consumidores.

São muitos interesses que perpassam os debates sobre o agronegócio no Brasil, e diante do crescimento do setor, estas discussões podem ser tornar ainda mais comuns e intensas.

Recentemente, com o anúncio da fusão entre o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Agricultura, muitos questionamentos foram traçados, e somente o tempo poderá mostrar quais os avanços (ou não) que serão realizados neste campo da economia.

*Luana Polon é Mestre em Geografia pela Unioeste, Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU).

Referências

» BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Sustentabilidade Ambiental do Agronegócio. Disponível em: http://www.mma.gov.br/informma/item/7737-sustentabilidade-ambiental-do-agroneg%C3%B3cio. Acesso em 21 fev. 2019.

» HEREDIA, Beatriz; PALMEIRA, Moacir; LEITE, Sérgio Pereira. Sociedade e economia do “agronegócio” no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 74, n. 25, p.159-196, out. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v25n74/a10v2574.pdf. Acesso em: 21 fev. 2019.

» PACHECO, Alessandro Mendes et al. A importância do agronegócio para o Brasil: Revisão de Literatura. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, Garça, SP, v. 19, n. , p.1-6, jul. 2012. Disponível em: http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/2opwo6alltgjcrp_2013-6-24-15-3-44.pdf. Acesso em: 21 fev. 2019.

Veja mais!