Publicado por Natália Petrin

Anestesia é uma técnica normalmente usada antes de procedimentos cirúrgicos, variando de intensidade de acordo com a necessidade.

Anestesia geral

A anestesia geral é o procedimento que promove uma inconsciência completa, além da analgesia (abolição da dor) e relaxamento do paciente. Isso pode ser feito por meio de agentes inalatórios ou endovenosos, ou ainda ambos.

Anestesia: técnica usada em procedimentos cirúrgicos

Foto: Pixabay

Esse tipo de procedimento anestésico tem quatro etapas, que serão descritas a seguir:

Pré-medicação

A pré-medicação é a etapa em que o paciente entra na sala de cirurgia relaxado e calmo. Para isso, é administrado um ansiolítico de curta duração que proporciona um grau leve de sedação.

Indução

Para que a etapa de indução seja alcançada, são administrados alguns medicamentos via endovenosa, e o mais usado é o propofol. A indução é, portanto, o período em que o paciente está transitando entre estar acordado e entrar em um estado de inconsciência, também conhecido como coma induzido. O paciente, apesar de estar inconsciente, pode sentir dor, e por isso é feita, ainda, a administração de um medicamento analgésico opióide. Entre essa e a próxima etapa, o paciente precisa ser entubado para que seja realizada a ventilação mecânica, de forma que seja adequada.

Manutenção

Na fase de indução, os medicamentos têm uma curta duração, e por isso essa fase de manutenção é tão importante. Essa etapa vai depender muito de quanto tempo o procedimento vai durar, e vai envolver anestesia via inalatória ou endovenosa, mas normalmente se dá preferência à primeira.

O anestesista tenta, durante a cirurgia, deixar o paciente o menos anestesiado quanto possível, já que o procedimento muito profundo pode levar a hipotensões e desaceleração dos batimentos cardíacos.

Recuperação

Por fim, a fase de recuperação é a fase final da cirurgia, quando a administração de anestésicos é reduzida pelo anestesista como uma forma de terminar a anestesia junto ao término do procedimento. Podem ser usados fármacos antídotos, mas são usados ainda alguns medicamentos opióides para que o paciente não acorde com dor.

Anestesia local ou raquidiana

Esse tipo de anestesia é bastante comum em procedimentos como cesarianas. O anestésico, nessa situação, é injetado na região lombar para atingir o líquido cefalorraquidiano, provocando a perda de sensibilidade à dor, afetando também os movimentos das pernas.

Os anestésicos locais são aplicados para bloquear a condução nervosa e devem ser aplicados localmente no tecido nervoso, sempre em uma concentração apropriada. Esse procedimento normalmente é usado em cirurgias mais simples, abrangendo pequenas áreas.

Veja mais!