Publicado por Ana Ligia

A Guerra dos Trinta Anos foi a mais longa batalha sem interrupção na história, que envolveu vários países da Europa.

O conflito foi o principal marco da transição do período feudal para a Idade moderna. Aconteceu em decorrência da rivalidade religiosa entre católicos e luteranos.

Como começou?

Tudo começou em 1618, quando duas igrejas luteranas na Boêmia foram destruídas, contrariando a liberdade religiosa que prevalecia na época.

Aprenda sobre a Guerra dos Trinta Anos

Foto: depositphotos

Nessa época, os protestantes promoveram uma rebelião na cidade de Praga, o que despertou interesse de outras nações contra a religião católica.

Os protestantes também desejavam impedir a ampliação do poder dos Habsburgos, dinastia germânica interessada em combater o protestantismo no Sacro-Império e ampliar suas influências políticas.

Períodos da guerra

A primeira fase (período palatino-boêmico) foi liderada pelo imperador católico Fernando II, que com ajuda dos Habsburgos da Espanha, derrubou os protestantes em 1620.

A fase seguinte (período dinamarquês) teve início em 1624. Ela adquiriu uma dimensão ainda maior, agora chamando atenção de outros países. Foi quando o rei da Dinamarca e da Noruega, Cristiano IV, apoiou os protestantes alemães.

A terceira fase da guerra (período sueco) ocorreu entre 1630 e 1635 e marcou o início da ação do cardeal de Richelieu, ministro de Luis 13 e verdadeiro governante da França.

Mesmo sendo ligado à Igreja Católica, Richelieu queria impedir os avanços dos Habsburgo na Europa, ficando assim, do lado protestantes.

Graças ao fracasso na tentativa de usar os suecos para derrubar os Habsburgo, Richelieu decidiu colocar a França diretamente na guerra.

Foi quando em 1635, sob o comando do Cardeal Richelieu, a França participou da última fase (período francês) da guerra e foi de essencial importância para o seu desfecho.

Desfecho

Com a intenção de se tornar uma potência mundial, os franceses massacraram os espanhóis.

Mas a Espanha estendeu a batalha por mais 13 anos e só reconheceram a derrota em 1648. A guerra dos 30 anos causou sérios problemas na economia e demografia da Europa Ocidental.

Ela teve fim em 1648 com a assinatura de alguns tratados (Münster e Osnabrück) que, em bloco, são chamados de Paz de Vestfália.

Veja mais!