Publicado por Natália Petrin

No estudo da língua portuguesa aprendemos sobre as figuras de linguagem, que nada mais são do que um recurso para que os textos literários tenham maior expressividade à linguagem, ficando mais poéticos e mais bonitos. As metáforas são usadas para este fim, brincando com as palavras e significados, deixando o texto mais interessante aos olhos do leitor. Além dessas figuras, existem também as figuras sonoras, que estão entre as figuras de estilo, que são usadas para embelezar a escrita.

Função

As figuras sonoras são usadas para fazer uma agradável combinação entre palavras e sons, brincando com os sons das palavras. Podem ser divididas em aliteração, assonância, paronomásia e onomatopeia. Elas formam um conjunto de recursos usados em músicas e poemas, oferecendo ao leitor uma experiência sinestésica. Confira!

Aprendendo as figuras sonoras sem complicação

Imagem: Reprodução/ internet

Aliteração

A aliteração é a figura sonora usada para deixar um texto com ritmo mais intenso, e para isso faz uso da repetição de consoantes ou de fonemas. Por exemplo:

“(…) Rato

Rato que rói a roupa

Que rói a rapa do rei do morro

Que rói a roda do carro

Que rói o carro, que rói o ferro

Que rói o barro, rói o morro

Rato que rói o rato

Ra-rato, ra-rato

Roto que ri do roto

Que rói o farrapo

Do esfarra-rapado

Que mete a ripa, arranca o rabo

Rato ruim

Rato que rói a rosa

Rói o riso da moça

E ruma rua arriba

Em sua rota de rato (…)” – Ode ao Rato, Chico Buarque

Assonância

Trata-se da figura usada por meio da repetição de sons vocálicos idênticos ou semelhantes de forma proposital. Por exemplo:

“(…) A linha feminina é carimá

Moqueca, pititinga, caruru

Mingau de puba, e vinho de caju

Pisado num pilão de Piraguá(…)” – Aos principais da Bahia chamados os Caramurus, Gregório de Matos.

Paronomásia

A paranomásia, por sua vez, é uma figura sonora que reúne em uma mesma frase algumas palavras que têm um som quase idêntico, mas que contam com significados diferentes. Observe:

“Gente eu tô ficando impaciente

A minha fome é persistente

Come frio come quente

Come o que vê pela frente

Come a língua come o dente

Qualquer coisa que alimente

A fome come simplesmente.” – Fome Come, Palavra Cantada.

Onomatopeia

Na onomatopeia, usamos um fonema em uma palavra, fazendo com que um determinado objeto seja descrito acusticamente por sua ação. É normalmente usada para traduzir vozes de animais ou sons das coisas, como é o caso do exemplo a seguir:

“Passa, tempo, tic-tac

Tic-tac, passa, hora

Chega logo, tic-tac

Tic-tac, e vai-te embora

Passa, tempo

Bem depressa

Não atrasa

Não demora

Que já estou

Muito cansado

Já perdi

Toda a alegria

De fazer

Meu tic-tac

Dia e noite

Noite e dia

Tic-tac

Tic-tac

Dia e noite

Noite e dia. – O relógio, Vinícius de Moraes.

Veja mais!