Publicado por André Luiz Melo

Nunca é demais se aprofundar nas peculiaridades gramaticais que a língua portuguesa carrega em seu léxico, não é verdade? Pois bem. Assim, é essencial perceber que determinadas palavras podem figurar por diferentes classificações gramaticais e acabar levando o falante ao erro.

Um exemplo clássico desse tipo de situação é a palavra bastante. Isso mesmo! A flexão dessa palavra quanto ao número é bastante comum entre os falantes do português. Mas afinal, será que a mesma pode ou não ser flexionada entre singular e plural? Será que existe “bastante” e “bastantes”?

Não duvide. Existe. O emprego dessa palavra flexionada quanto ao número existe e faz parte da norma-padrão da língua portuguesa.  Todavia, faz-se necessário compreender “bastante” pode assumir três funções distintas: advérbio, adjetivo e pronome indeterminado.

Função de advérbio

Representando a forma mais utilizada no português, a função de advérbio da palavra “bastante” expressa intensidade. Nesses casos o objetivo do seu emprego é reforçar, intensificar, uma ideia/conceito com sentido de “muito”. Em hipótese alguma a palavra bastante como advérbio sofre variação quanto ao número. Confira os exemplos abaixo:

As crianças fizeram bastante bagunça na escola.
Os amigos são bastante importantes em nossas vidas.
Estudamos bastante para a prova de Matemática.

Bastante ou bastantes - Qual o correto?

Foto: Reprodução

Posição de adjetivo

A depender do contexto da frase em que a palavra “bastante” esteja inserida como adjetivo, a mesma poderá ou não sofre flexão de número. Se empregada no plural, é indispensável que as palavras seguintes concordem com a mesma variação. Nota: Para que você consiga identificar facilmente se a palavra bastante tem ou não a função de adjetivo em determinada frase, basta que você a substitua pela palavra “suficiente”. Se a substituição tiver sentido coerente, então “bastante” na referida frase tem a finalidade de adjetivo. Veja nos exemplos a seguir:

bastantes bonecas em seu quarto, filha.
(Há bonecas suficientes em seu quarto, filha)

Já há bastantes quadros na parede.
(Já há quadros suficientes na parede)

Atuando como artigo indefinido

Empregada como pronome indefinido, a palavra “bastante” admite flexão de número. Exercendo essa função, bastante ou bastantes têm como finalidade representar qualidades e/ou quantidades indefinidas. De tal modo que ambas aparecem antes de um substantivo com o qual deverão estar de acordo. Observe os exemplos abaixo:

Eu reclamei bastantes vezes do mau atendimento da empresa.
(Eu reclamei várias/muitas vezes do mau atendimento da empresa)

Nós compramos bastantes livros para ler durante as férias.
(Nós compramos vários/muitos livros para ler durante as férias)

Veja mais!