Publicado por Priscila Melo

Alguma vez você já ouviu alguém falar o termo boia-fria? Provavelmente você já deve ter escutado em casa ou em algum noticiário, não é mesmo? Mas você sabe o que isso significa? Boias-frias são trabalhadores que geralmente não possuem boas condições de trabalho, que saem muito cedo de casa e já levam seu almoço. Vamos conhecer um pouco mais sobre essas pessoas agora.

Boias-frias

Foto: Reprodução

Definição

Ao pesquisar no dicionário o termo boia-fria, encontramos o significado de que é o “trabalhador agrícola que se desloca diariamente para propriedade rural, geralmente para executar tarefas sob empreitada.” Mas essa explicação é muito superficial.

As pessoas que recebem esse nome geralmente não possuem muito conhecimento, são analfabetos ou semianalfabetos que vivem ou já viveram no campo. Esses trabalhadores acordam muito cedo e levam uma marmita e na hora do almoço comem a comida fria. Foi por isso que surgiu esse termo, pois boia é uma gíria para comida.

O modo de vida

O modo de vida dessas pessoas é bem precário, normalmente o boia-fria é uma pessoa que não teve oportunidade de estudar, que passa por situações difíceis e que vivem no campo.

Existem muitos casos de boias-frias no Brasil, essas pessoas se sujeitam ao trabalho no campo, muitas vezes nos períodos de colheitas, suas condições de trabalho e seu salário raramente são bons. Esses trabalhos que ocorrem na zona rural são sem vínculo empregatício, as pessoas são contratadas para trabalhar durante um período.

Por não possuírem condições, levam suas marmitas ao saírem de casa na madrugada e como no local onde estão trabalhando não há como esquentar a comida eles a comem fria.

As condições de trabalho

O principal problema desse tipo de profissão é a condição de trabalho a que são submetidos. Geralmente a maioria desses casos chegam a ser comparados ao trabalho escravo.

Aqui no Brasil esses casos de trabalho excessivo acontecem com frequência, o trabalho é muito pesado e o salário muito baixo. A carga horária varia entre 10 e 11 horas por dia, com apenas um pequeno intervalo de 30 minutos para o almoço e descanso.

O valor é pago de acordo com o que cada trabalhador produz, ou seja, eles recebem de acordo com a quantidade de toneladas ou arrobas colhidas. Desta forma, para obter um ganho maior, muitos deles acabam se sujeitando a grandes esforços físicos e alguns chegam a morrer por conta disso. Entre uma safra e outra os trabalhadores ficam sem trabalho e procuram serviço em outras regiões e com isso acabam migrando sempre de uma região para outra.

Veja mais!