Publicado por Robson Merieverton

A amplitude do território brasileiro possibilita que ele seja subdivido em muitas regiões. Essas seguem critérios climáticos, naturais e econômicos.

Dentro desse último contexto, o Brasil ganhou mais uma forma de identificar as particularidades de algumas localidades, levando em consideração as características naturais e socioeconômicas, também conhecidas por Regiões Geoeconômicas.

O Brasil apresenta três regiões enquadradas nesse sistema: a Amazônia, o Nordeste e o Centro-Sul. Para que chegassem a essa delimitação, muitos critérios foram utilizados. Porém, as fronteiras dos estados não foram levados em consideração e sim os aspectos sociais e econômicos, o que acabou gerando grande dinamismo na delimitação espacial.

Características das regiões geoeconômicas do Brasil

Foto: depositphotos

Principais características de cada região

Amazônia

A região é conhecida por integrar toda a extensão da floresta Amazônica localizada em território brasileiro. Entre os seus limites estão os estados do Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Amapá, Pará e parte do Maranhão, do Tocantins e do Mato Grosso. É a maior dentre as outras regiões, porém, apresenta a menor densidade demográfica por quilômetro quadrado.

O relevo da região é, na sua maioria, de baixa altitude, em razão das planícies fluviais dos rios Amazonas e Araguaia, e das depressões. A hidrografia é a característica mais marcante da região, que apresenta a maior bacia hidrográfica do planeta, cobrindo mais de 7 milhões de quilômetros quadrados. O clima que predomina na região é o equatorial úmido, com temperatura em torno de 25°C.

A região possui o menor Produto Interno Bruto (PIB), variando na casa dos 8%, perante as demais. A base da economia é o extrativismo mineral, vegetal e animal, além da agropecuária. A região também apresentam alguns polos industriais, com instalação de indústrias multinacionais.

Nordeste

A região geoeconômica do Nordeste foi a primeira a ser ocupada pelo processo de colonização europeu. Ela possui uma área de aproximadamente 1.542.271 km², o que representa 20% do território brasileiro, incluindo todo o Nordeste da divisão oficial, exceto a metade oeste do Maranhão e o norte de Minas Gerais, onde se localizam as mesorregiões mineiras Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha.

O relevo nordestino é caracterizado por planaltos, depressões e planícies. A rede fluvial do Nordeste é composta por muitos rios temporários, que secam durante boa parte do ano. O rio principal, o Rio São Francisco. A região apresenta média anual de temperatura entre 20° e 28°. O clima na região é predominantemente tropical em razão da proximidade com a linha do equador.

Ela aparece como a segunda região geoeconômica mais populosa, perdendo apenas para o Centro-Sul. Sua população chega a quase 48 milhões de habitantes, com densidade superior a 30 hab/km² nas principais cidades. As maiores regiões metropolitanas, classificadas como metrópoles regionais, são Recife, Fortaleza e Salvador.

A cana-de-açúcar é o principal produto agrícola da região, produzido por Alagoas, Pernambuco e Paraíba, principalmente.

A indústria é mais forte e diversificada em regiões metropolitanas, destacando-se a produção de aços especiais, produtos eletrônicos, equipamentos para irrigação, navios, cascos para plataformas de petróleo, automóveis, baterias e produtos petroquímicos. A região também tem suas bases econômicas fincadas na produção de petróleo.

Centro-Sul

Abrange os estados das regiões Sul e Sudeste brasileiros (com exceção do norte de Minas Gerais), além dos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, sul do Tocantins e do Mato Grosso, e o Distrito Federal. Essa região compreende, aproximadamente 2,2 milhões de km², ocupando cerca de 25% do território brasileiro. É a região mais povoada e economicamente mais avançada, sendo responsável por mais de 78% do PIB brasileiro.

Essa região é caracterizada por um clima diferente, onde três climas são predominantes: subtropical, tropical e tropical de altitude. A temperatura supera os 30° no verão e pode ser inferior a 10° no inverno. A região Centro-Sul é a de maior número de habitantes do país, chegando a mais de 110 milhões, com densidade populacional superior a 20 hab/km².

Esta região possui a economia mais diversificada do país, com intensa atividade econômicas, com o maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária, elevadas taxas de industrialização e urbanização.

São destaque as indústrias metal-mecânica, de álcool e açúcar, têxtil, petroquímica, automobilística e de aviação. As cidades mais importantes da região são Rio de Janeiro e São Paulo.

Veja mais!