Publicado por Prof. Nathália Duque

Você conhece as características do caramujo? Além de conhecê-las, a partir desse artigo você vai descobrir curiosidades sobre esse animal bem como onde vivem, como se reproduzem e do que se alimentam. Acompanhe!

O caramujo é um animal invertebrado que pertence ao grupo dos moluscos. Mas, o que são moluscos? São seres vivos que têm o corpo mole e não segmentado, alguns apresentam uma concha calcária e possuem o corpo dividido em três regiões: cabeça, pé e massa visceral.

Os moluscos vivem nos mais diversos ambientes. Há espécies em terra úmida, como os caracóis e as lesmas e outras aquáticas, como as lulas e os caramujos.

As espécies de moluscos marinhas podem viver presas às rochas, como é o caso dos mexilhões (mariscos) e ostras, alguns se arrastam sobre a areia, como os caramujos, outras nadam livremente, como os polvos e as lulas ou ainda flutuam em belas conchas, como o Nautilus.

Percebeu como é grande a variedade de moluscos existentes? Vamos falar mais detalhadamente sobre os caramujos. Provavelmente você já tenha visto algum.

Características dos caramujos

Os caramujos são moluscos que pertencem a classe dos gastrópodes e esta é a classe que apresenta o maior número de espécies entre os moluscos, cerca de 70 mil. É a única classe de moluscos com representantes no ambiente terrestre, na água doce e na água do mar. Mas, em que ambiente vivem os caramujos?

Caramujo

Os caramujos podem viver tanto em ambiente terrestre, como na na água doce e na água do mar (Foto: depositphotos)

Os caramujos vivem no meio aquático, possuem uma concha externa espiralada e de diferentes padrões. Os caramujos possuem na região cefálica: uma boca e estruturas sensoriais bem desenvolvidas. Da cabeça saem quatro tentáculos, todos retráteis: dois são a base dos olhos e dois são usados para o tato e o olfato.

Caramujo ou caracol?

Muitas vezes caramujo e caracol são usados como sinônimos, porém, popularmente existe uma pequena diferença entre eles. Ambos são moluscos e possuem uma concha externa, mas o caramujo é um gastrópode que vive no meio aquático e respira por brânquias, já o caracol é um gastrópode terrestre e respira por pulmões. Existem cerca de 400 espécies de caramujos e caracóis.

Veja também: Moluscos: o que são e características

Como se locomovem?

Os caramujos são lentos, assim como as lesmas. Eles também produzem uma secreção gosmenta, o muco, que serve como lubrificante e em algumas espécies pode ser nocivo. Esse muco também ajuda durante o deslocamento do animal.

Para se movimentar, eles colocam a cabeça para fora da concha e a levanta do chão, em seguida, ele estica todo seu corpo para frente e assim se desprende do chão. Através de movimentos repetitivos ondulatórios, os caramujos conseguem andar de maneira vagarosa.

Como se reproduzem?

Os caramujos são hermafroditas, com desenvolvimento direto, ou seja, não existe fase de larva. Os caramujos são aquáticos, mas alguns possuem hábitos de colocarem seus ovos nos vegetais acima do nível da água ou em outros substratos.

Esses animais apresentam brânquias, porém algumas espécies apresentam tanto brânquias quanto pulmões. As brânquias são usadas na respiração na água e os pulmões na respiração aérea.

Em geral, os caramujos realizam a cópula, havendo troca de espermatozoides. A fecundação é interna e eles colocam ovos protegidos por uma casca calcária e do ovo já nasce um caramujo jovem.

Caramujo transmite doença?

Alguns caramujos são responsáveis por hospedar um parasita (verme) que transmite uma doença chamada esquistossomose ou barriga d’água. Os principais caramujos são os do gênero Biomphalaria, tais como:  B. glabrata, B. straminea e B. tenagophila.

Outro caramujo que também está relacionado à saúde é o caramujo africano (Achatina fulica). Ele não é uma espécie nativa, ou seja, não é natural do nosso país. Esse caramujo veio da África e chegou no Brasil por volta de 1988.

Inicialmente ele foi introduzido aqui com o objetivo de substituir o escargot, por ser mais barato. Contudo, o caramujo africano virou um verdadeiro problema de saúde nas áreas urbanas.

Atualmente ele é considerado uma praga e também hospeda um parasita que traz doenças ao ser humano. Caso o caramujo esteja infectado e o indivíduo o consuma na alimentação ou beba a água contaminada com suas larvas, poderá ter sérios problemas de saúde.

Locomoção dos caramujos

Os caramujos são lentos, assim como as lesmas (Foto: depositphotos)

Classes de moluscos

Os moluscos são organizados em sete classes:

Classe Aplacophora: os moluscos aplacóforos são animais marinhos pouco conhecidos. Possuem corpo vermiforme e algumas espécies são capazes de viver em grandes profundidades. Geralmente não são grandes, medem alguns milímetros de comprimento e não possuem nenhuma concha.

Classe Monoplacophora: os monoplacóforos também são animais marinhos e habitam águas profundas. O corpo desses animais é totalmente recoberto por uma concha única, vindo daí seu nome.

Classe Polyplacophora: Os poliplacóforos são conhecidos como quítons e vivem presos a rochas nas regiões entre marés ou submersas. Sua concha é formada por uma série de oito placas sobrepostas e articuladas, por isso o seu nome.

Classe Scaphoda: Os escafópodos são animais marinhos e a maioria vive enterrada na areia ou no lodo. São muito conhecidos como concha-dente. Isso porque possuem uma concha cilíndrica que lembra um dente, ou presa. O pé desses animais é musculoso e adaptado a escavar o substrato.

Classe Bivalvia: Os bivalves são um grupo grande e muito diversificado. Existem espécies que são marinhas e outras de água doce. Como exemplo temos as ostras, os mexilhões e os mariscos. Possuem uma concha composta por duas partes, chamadas de valvas.

Classe Gastropoda: Os gastrópodes representam o maior grupo de todos os moluscos. Existem espécies de água doce, marinhas e terrestres. Alguns gastrópodes mais conhecidos são as lesmas, os caracóis de jardim e os caramujos. Existem espécies com concha, que normalmente é espiralada, como os caracóis e caramujos, ou sem conchas, como as lesmas.

Classe Cephalopoda: Os cefalópodes são animais marinhos, como as lulas, as sépias, os náutilos e os polvos. A concha pode estar presente, como nos náutilos, ou ausente, como no caso dos polvos, ou ser reduzida e interna, como nas lulas.

Veja também: 10 maiores animais do mundo

Nutrição dos caramujos

Os caramujos alimentam-se de vegetais em decomposição e folhas verdes.

*Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

SANTANA TELES, Horácio Manuel et al. Registro de Achatina fulica Bowdich, 1822 (Mollusca, Gastropoda) no Brasil: caramujo hospedeiro intermediário da angiostrongilíase. Revista de Saúde Pública, v. 31, p. 310-312, 1997.

ARAÚJO, Karina Conceição Gomes Machado et al. Análise espacial dos focos de Biomphalaria glabrata e de casos humanos de esquistossomose mansônica em Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil, no ano 2000. Cadernos de Saúde Pública, v. 23, p. 409-417, 2007.

DOS SANTOS, Juliana Cristina et al. Análise comparativa do conteúdo Filo Mollusca em livro didático e apostilas do ensino médio de Cascavel, Paraná. Ciência & Educação, v. 13, n. 3, p. 311-322, 2007.

Veja mais!