Publicado por Prof. Nathália Duque

Você sabe quem são os animais carnívoros? O ecossistema em que vivemos pode ser definido pela relação existente entre os componentes abióticos e os componentes bióticos.

Os componentes abióticos podem ser: físicos, como a radiação solar, a temperatura, a luz, a umidade e os ventos; químicos, como os nutrientes presentes nas águas e nos solos ou geológicos, como o solo. Já os componentes bióticos são: todos os seres vivos, como os peixes, as aves, os répteis, os mamíferos, etc.

Dentro do grupo dos componentes bióticos, encontram-se os animais carnívoros. Os animais carnívoros são heterótrofos (hetero = diferente; trofos = alimento), ou seja, não são capazes de produzir seu próprio alimento como fazem os autótrofos.

Os heterótrofos dependem direta ou indiretamente da matéria orgânica sintetizada pelos autótrofos para, assim, obterem a matéria-prima para seu crescimento, reprodução e reparação de perdas. Além da energia necessária para a manutenção de seus processos vitais.

Leoa comendo carne

Os carnívoros estão no topo da cadeia alimentar (Foto: depositphotos)

Podemos concluir que o alimento produzido pelo autótrofos (algas, plantas) é utilizado por eles e pelos organismos heterótrofos, como os animais carnívoros.

O que são os animais carnívoros

Os animais carnívoros além de serem considerados heterótrofos, são também chamados na cadeia alimentar de consumidores.  Os consumidores alimentam-se de outros organismos ou restos de organismos.

Sendo assim, os animais carnívoros são aqueles que se alimentam exclusivamente de outros animais.

Carnívoros x onívoros

Como vimos, os animais carnívoros são aqueles que se alimentam unicamente de outros animais. Já os animais chamados de onívoros, são aqueles que apresentam uma dieta “flexível”, pois alimentam-se tanto de vegetais quanto de animais.

É o que ocorre com o ser humano, o urso, o morcego, o jabuti, o porco, o rato, o esquilo, o corvo, a raposa, o lobo-guará, etc.

Características dos carnívoros

Os animais carnívoros são caçadores e predadores, pois precisam se alimentar da carne de outros animais. Normalmente possuem garras e dentes super afiados, para ajudar a prender e a rasgar suas presas com facilidade.

São animais rápidos, habilidosos e espertos. Alguns possuem hábitos noturnos e, com isso, seus sentidos são mais desenvolvidos e aguçados. Os animais carnívoros possuem um ácido (ácido clorídrico) em grande quantidade no estômago, que ajuda na digestão da carne.

Exemplos de carnívoros

Os principais animais carnívoros são:

Baleia, crocodilo, tigre, lontra, águia, coruja, lobo, aranha, serpente, golfinho, lagarto, tubarão, garça, gavião, falcão, pelicano, leão, pinguim, polvo, quati, foca, jiboia, sucuri, escorpião, leopardo, onça, hiena, morsa, gato, cachorro, guepardo, entre outros.

Cadeia Alimentar

Cadeia alimentar é quando um organismo serve de alimento para o outro. Nos ecossistemas, a energia química contida na matéria orgânica que faz parte do corpo do produtor (autótrofo) pode ser transferida para os demais seres vivos ao longo de uma cadeia.

Em todas as cadeias alimentares, a matéria sofre transformações e é reciclada. A quantidade de energia, por sua vez, vai diminuindo à medida que passa dos produtores para os consumidores, e de um consumidor para o outro, pois uma parte dela é utilizada para a realização dos processos vitais do organismo e outra é liberada sob forma de calor, restando apenas uma parcela menor de energia disponível para o nível seguinte.

Cadeia alimentar

A fonte geradora de energia são sempre os seres produtores (Foto: depositphotos)

Toda cadeia alimentar possui como fonte geradora de energia os organismos autótrofos, ou seja, os produtores. Em seguida, os animais que se alimentam desses produtores são chamados de herbívoros ou consumidores primários.

Os animais que se alimentam dos consumidores primários são consumidores secundários, chamados de carnívoros. Os consumidores terciários são aqueles que se alimentam dos consumidores secundários, também são carnívoros.

Com exceção dos consumidores primários, que são herbívoros, os demais consumidores de matéria viva são carnívoros ou onívoros.

Os consumidores de detritos (restos de matéria orgânica) são chamados detritívoros. Em um ecossistema, no entanto, nem sempre ocorrem todas essas categorias de consumidores. Os consumidores são classificados em: primários, secundários, terciários e assim por diante.

Fechando o ciclo, temos os decompositores. Organismos heterótrofos que degradam a matéria orgânica contida em produtores ou em consumidores mortos. Eles utilizam alguns produtos da decomposição como alimento e liberam para o meio, minerais e outras substâncias (processo chamado remineralização) que podem ser novamente utilizadas pelos produtores. Os decompositores estão representados por certas bactérias e fungos.

Em um ecossistema, entretanto, as relações alimentares entre os organismos que o compõem não são tão simples. Existem várias cadeias alimentares que se interligam, formando uma complexa rede de transferência de matéria e energia, que chamamos de teia alimentar.

Transferência de alimento e energia

Assim como uma máquina necessita de combustível para funcionar, os seres vivos necessitam de alimento, do qual obtêm energia para a realização das atividades vitais e matéria-prima para a construção de novas estruturas celulares e moléculas orgânicas, tais como proteínas e lipídios.

Na natureza, a matéria que compõe um ser vivo é passada para outro por meio da alimentação. A energia contida nessa matéria também é transferida e empregada na realização das atividades diárias.

A onça-pintada, por exemplo, é um animal carnívoro. É uma grande predadora. Nos locais em que vive, reina absoluta porque nenhum outro animal se alimenta dela. A dieta dela inclui capivaras, veados, antas, macacos, aves e até peixes. Dificilmente um animal escapa aos ataques e à força de sua poderosa mandíbula.

A sobrevivência desse grande felino, no entanto, depende de ele encontrar as presas das quais se alimenta. Estas só estarão disponíveis se elas próprias também se alimentarem. Assim, se estabelece uma sequência de alimentação que envolve, além da onça, outros tipos de animais, plantas e microrganismos. No cerrado e no Pantanal brasileiros, por exemplo, é possível encontrar a seguinte cadeia alimentar: Capim Imagem relacionada Capivara Imagem relacionada Jacaré Imagem relacionada Onça.

Quando a cadeia alimentar é representada, os participantes são ligados por setas que sempre se dirigem de quem serve de alimento para quem se alimenta. No exemplo acima, pode-se entender que o capim serve de alimento para a capivara, que alimenta o jacaré, que, por sua vez, é caçado pela onça.

*Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

» SANTOS, Maria de Fatima Maciel dos et al. Mamíferos carnívoros e sua relação com a diversidade de hábitats no Parque Nacional dos Aparados da Serra, sul do Brasil. Iheringia: série zoologia, Porto Alegre. Vol. 94, n. 3 (set. 2004), p. 235-245, 2004.

» DE OLIVEIRA, Vera Lúcia Bahl et al. Cadeia alimentar: modelos e modelizações no ensino de Ciências Naturais. 2003.

Veja mais!