Publicado por Débora Silva

A catapora, também chamada de varicela, é uma doença infecciosa aguda e altamente contagiosa, causada pelo vírus varicela-zóster. Essa doença é mais comum em crianças entre 1 e 10 anos, mas também pode acometer pessoas não imunes de qualquer idade.

A forma mais comum de transmissão da catapora é pelo contato da partícula viral, que pode estar presente na saliva, espirro ou tosse, com a mucosa oral do indivíduo. No inverno, a incidência de números de casos desta doença é mais elevada, o que pode ser explicado pela maior permanência das crianças em creches, salas de aula, salas de espera de consultórios e outros ambientes fechados.

Em adultos ou em pessoas com imunodeficiência, a catapora pode ter consequências mais sérias, como a manifestação hemorrágica grave, pneumonia e infecção bacteriana secundária.

Catapora – O que é, sintomas e tratamento

Foto: Reprodução

Sintomas da catapora

O principal sintoma da catapora começa a aparecer após um período de incubação do vírus, que pode variar entre 10 e 21 dias. As lesões aparecem como bolinhas vermelhas e rapidamente evoluem para formar pequenas bolhas com um líquido em seu interior, que posteriormente se rompem e originam as feridas.

As bolhas geralmente têm conteúdo claro e apresentam as bordas avermelhadas, surgindo na pele de todo o corpo, inclusive no couro cabeludo, na boca e outras mucosas. As erupções na pele são acompanhadas por outros sintomas, como febre de até 40ºC, mal-estar, cansaço, falta de apetite e dores de cabeça.

Transmissão e diagnóstico

A transmissão da catapora acontece principalmente pela saliva, espirro, tosse ou pelo contato direto com o líquido das bolhas. Também pode acontecer de forma indireta, pelo contato com objetos contaminados com a secreção das vesículas. No entanto, a transmissão por contato indireto é bem rara. A catapora também pode ser transmitida durante a gravidez, através da placenta.

Os indivíduos com o vírus transmitem a doença durante todo o tempo de formação das lesões da pele, o que pode durar de cinco a sete dias.

O diagnóstico desta doença é clínico, mas também existe a possibilidade de confirmação sorológica.

Tratamento da catapora

Por se tratar de uma doença causada por vírus, o ideal é preveni-la com vacina. Após ser contaminada, a pessoa deve permanecer em casa, longe do convívio social, até que a cicatrização das lesões da pele.

Nas crianças pequenas, nenhum tratamento é indicado, nem mesmo os banhos de permanganato, já que, se for mal diluído, pode causar queimaduras na pele. A recomendação é realizar a higiene da pele adequadamente durante o banho, com água e sabão, e cortar bem as unhas da criança para que ela não coce as bolhas. Também é muito importante manter repouso, tomar bastante água e ingerir alimentos mais leves.

Geralmente são indicados antitérmicos para controlar a febre e a prostração. Medicamentos antivirais, como o aciclovir, somente são indicados em pacientes acima dos 12 anos de idade e adultos.

A recuperação completa da catapora pode levar aproximadamente 10 dias após o aparecimento dos sintomas.

Como prevenir a catapora?

A vacina para a catapora é relativamente nova, mas já está no Calendário Nacional de Vacinação do SUS e compõe a tetra viral, que também protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A primeira dose deve ser dada ainda no primeiro ano de vida, e reforçada entre os quatro e seis anos de idade. O reforço da vacina é importante para a prevenção completa da doença, pois, em alguns casos, apenas a dose inicial não impede que a doença se manifeste na pessoa.

No geral, não há contraindicações para a aplicação da vacina, exceto em alguns casos específicos, como em mulheres grávidas, alguns pacientes com HIV e outros indivíduos com o sistema imune comprometido.

Veja mais!