Publicado por Lia Vieira

A cobra é o nome dado a répteis rastejantes, de corpo alongado e sem patas, no Brasil o mais correto seria chamar estes animais de serpentes, já que o termo “cobra” é utilizado em alguns países para falar das najas, encontradas, por exemplo, em países como a África do Sul e na Ásia.

Nos Brasil, tanto os termos cobra quanto serpente são aceitos, porém o correto (como vimos acima), é se utilizar do termo serpente, esta confusão existe por causa dos portugueses que quando chegaram ao Brasil, encontraram as serpentes e as nomearam de cobras, da mesma forma como fizeram quando nomearam de índios os habitantes, pois acreditavam ter chegado à Índia.

Cobras e serpentes

Foto: Reprodução

Características das serpentes

Somente no Brasil, encontramos mais de 370 espécies de serpentes, nos mais variados tamanhos, formas e cores. Poucas espécies de serpentes são capazes de causar danos aos seres humanos, dentre elas as mais assustadoras são as peçonhentas.

As serpentes peçonhentas são aquelas que produzem veneno muito concentrado, e dentro de seu corpo são capazes de injetar essa substância, a chamada peçonha, no caso as serpentes possuem dentes com modificações que permitem que isso seja feito.

Aquelas do Brasil possuem características em comum facilitando assim a diferenciação de outras espécies que não inoculam veneno, como por exemplo, as jiboias, salamantas, sucuris, caninanas e dormideiras.

Elas possuem a presença da fosseta loreal, uma estrutura que fica entre os olhos e as narinas da serpente, todas as serpentes possuem essa estrutura, com exceção da coral verdadeira. Esta estrutura serve para a serpente sentir a presença do calor de possíveis presas que tenham corpo quente, facilitando nas caçadas durante a noite.

Efeitos do veneno de uma serpente/cobra peçonhenta

Jararaca: é encontrada facilmente em todo o país, porém, é mais fácil de ser encontrada no cerrado, os efeitos do seu veneno são inchaço, hemorragia e destruição dos músculos no local da picada.

Surucucu: é encontrada na Mata Atlântica, e Amazônia, os efeitos de seu veneno são hemorragia, inchaço e destruição dos músculos no local da picada.

Cobra Coral: o veneno desta cobra mata por asfixia, bloqueando os movimentos do diafragma, órgão que permite a entrada de ar nos pulmões.

Cascavel: não é encontrada em grandes florestas, os efeitos de seu veneno são visão dupla e paralisia muscular, impedindo assim os movimentos da vítima.

Como realizar o tratamento de uma picada?

O tratamento de uma picada de cobra ou serpente peçonhenta é realizado através do soro antiofídico, que é produzido a partir do próprio veneno do animal.

  • Extrair o veneno da serpente, pressionando a glândula de veneno;
  • Resseque o veneno para que fique mais concentrado;
  • Diluí-lo em pouca água e injetá-lo em um cavalo;
  • Após 40 dias, é retirado o sangue do cavalo, com a finalidade de obter o plasma do qual, através de centrifugação, são preparados os anticorpos.

Veja mais!