Publicado por Natália Petrin

As frutas passam por um processo de amadurecimento para que depois de um tempo a gente possa consumi-las, certo? Normalmente quando vamos comprar um cacho de bananas, por exemplo, normalmente as vemos mais para verdes, sem ser algo gostoso de comer. Com o passar do tempo, entretanto, elas começam a amadurecer, e aí o sabor fica mais adocicado e fica mais agradável para consumir. Como isso acontece?

Processo de amadurecimento

Existe uma substância química natural, o etileno, que é um fito-hormônio gasoso que atua no processo de amadurecimento das frutas. Na forma sintética, essa mesma substância é usada na produção de canos e sacolas plásticas de PVC.

Diversas técnicas foram usadas em milhares de anos para que a produção de etileno pudesse ser incrementada, mesmo antes de esse gás ser descoberto. Isso porque antigos colhedores de frutas do Egito abriam os figos com um pequeno corte para acelerar o amadurecimento, e também os chineses colocavam as peras em salas e queimavam incensos para acelerar esse processo.

Como ficam maduras as frutas?

Foto: Pixabay

Foi somente no ano de 1901 que Dimitry Neljubow, cientista russo, percebeu que as plantas em torno de um gasoduto tinham um crescimento anormal. Ele notou, com uma análise, que isso se dava devido a um vazamento da tubulação que liberava vapores de etileno. Depois de três décadas, os pesquisadores descobriram que as plantas não somente reagiam ao gás, mas também o produziam.

Com mais estudos, puderam descobrir que com um corte ou com calor, causando estresse nas frutas, a produção de etileno aumentava. O gás desloca-se através da planta, servindo como um alerta de perigo próximo, ativando sistemas defensivos.

Como manter frutas e verduras por mais tempo

Mas então como fazer com que as frutas e verduras durem mais tempo? A forma de armazenamento influencia diretamente nesse processo, por isso vamos falar sobre a separação desses alimentos.

Frutas e vegetais, como já vimos, produzem o etileno, mas alguns em quantidades maiores que os outros. A primeira dica, portanto, para manter frutas e verduras por mais tempo, é separar os produtos que emitem o etileno em maiores quantidades daqueles que são mais sensíveis.

Os alimentos que são afetados são: inhame, agrião, batata doce, abóbora, espinafre, batatas, ervilhas, salsa, alface, berinjela, pepino, couve-flor, cenoura, repolho, couve, brócolis, aspargos.

Os que produzem em maiores quantidades são: tomates, ameixas, abacaxi, pimentão, peras, pêssegos, mamão, nectarina, manga, kiwi, uva, figo, frutas cítricas em geral, melão, bananas, abacate, damasco e maçã.

Veja mais!