Publicado por Robson Merieverton

O mundo dos seres vivos é cheio de particularidades e curiosidades. Um ponto bastante específico que move grande parte desses dois pontos vem das relações entre eles. Conhecida como relações ecológicas, essa interação assumem características intraespecíficas e interespecíficas.

A primeira delas, a relação intraespecíficas, parte do princípio de interação entre indivíduos da mesma espécie. A maioria delas acontece de forma harmônica, onde cada integrante respeita o espaço do outro. Mas também, não é difícil de encontrar aquelas relações que não são harmônicas.

Por outro lado aparecem as relações interespecíficas, como o próprio nome já sugere, a interação acontece entre indivíduos de espécies diferentes. Nesse caso, o contato também pode ocorrer nas formas harmônicas e desarmônicas. Levando em consideração essas características, outras formas de explicar essas relações aparecem.

Compreenda as relações ecológicas e como são definidas

Foto: depositophotos

Relações intraespecíficas harmônicas

Nesse caso, é comum ver a interação entre indivíduos da mesma espécie, que convivem de forma harmoniosa em busca de um único ideal. Isso pode ser visto com clareza nas sociedades e colônias. No primeiro caso, os indivíduos cooperam entre si, por meio da divisão de trabalho. Como exemplo podemos citar as abelhas e cupins.

Quando o assunto está relacionado as colônias, ocorre uma associação automática entre os indivíduos. Eles podem desempenhar funções específicas, beneficiando a todos. Um exemplo bem prático desse tipo de relação são os corais.

Relações intraespecíficas desarmônicas

Para falar um pouco mais sobre esse tipo de relação, deve ser levado em consideração que os indivíduos são da mesma espécie. Nesse caso eles podem praticar o canibalismo ou a competição. No canibalismo, um indivíduo se alimenta de outro menos incapaz para saciar sua fome.

Enquanto na parte de competição, um verdadeiro jogo de interesses está implícito. Eles podem disputar territórios, parceiros reprodutivos, alimentos, além de muitos outros “prêmios”. Como exemplo desse tipo de interação temos o louva-a-deus e os galináceos.

Relações interespecíficas harmônicas

Para os indivíduos de espécies diferentes, também pode ser vista a mesma divisão entre as formas de relação. Assim, aparecem o mutualismo, protocooperação, inquilinismo e comensalismo.

O mutualismo é explicado como sendo a associação entre ambas as espécies em prol da sobrevivência. Nesse ponto, todos saem ganhando. Como exemplo têm-se os fungos e algas. Na protocooperação, ambas as espécies se beneficiam, mas sem que elas dependam uma das outras, sem a necessidade de união. Como exemplo aparece a anêmonas-do-mar.

No inquilinismo, uma espécie fornece moradia ou proteção à outra, sem que esse ato a prejudique. As orquídeas são ótimos exemplos desse tipo de relação. Por último, no comensalismo, um organismo se alimenta de restos da alimentação de outro. Nesse caso, apenas uma espécie está sendo beneficiada. Como exemplo de comensalismo podemos citar os abutres e animais carnívoros.

Relações interespecíficas desarmoniosas

Nas relações interespecíficas desarmoniosas entre as espécies, cinco tipos aparecem como as principais. São eles: amensalismo, herbivoria, predatismo, parasitismo e competição interespecífica.

Para início de conversa, o amensalismo acontece quando o próprio nascimento do indivíduo de uma espécie é prejudicado pela secreção de substâncias tóxicas, produzidas por outra. Exemplo: fungos que produzem antibióticos contra bactérias.  No herbivoria, os indivíduos se alimentam exclusivamente de plantas. Os bois se enquadram nesse tipo. Já no predatismo, os indivíduos capturam e matam para a própria alimentação. Se enquadram no predatismo os leões.

Na relação interespecíficas desarmoniosas classificada por parasitismo, um parasita se alimenta do hospedeiro sem, necessariamente, levá-lo a óbito. Por exemplo o carrapato parasitando cães. E na competição interespecífica, acontece uma disputa por recursos, entre espécies diferentes, sendo elas de nichos ecológicos semelhantes. Um exemplo são as plantas que disputam por água e nutrientes.

Veja mais!