Publicado por Natália Petrin

Causando muito medo e fascinação, as aranhas existem em diversos tipos como a aranha-pavão, aranha-golias, aranha-marrom, entre muitas outras. Existe ainda a aranha cujo nome científico é caerostris darwini, também conhecida popularmente como aranha-da-casca-de-darwin ou ainda aranha Darwin Bark.

Características

A aranha somente ficou conhecida no ano de 2009, e é originária da Ilha de Madagascar, sendo que suas características mais chamativas estão em torno da sua teia produzida, que é extremamente resistente.

Sua teia é compostas por uma seda que é conhecida como a segunda substância biológica mais resistente do mundo, sendo considerado duas vezes mais resistente que as teias comuns de aranha e 10 vezes mais resistente que o kevlar, que é a substância usada para a confecção de coletes a prova de balas. Dá pra acreditar?

Conheça a aranha que faz a maior e mais forte teia do mundo

Foto: Reprodução/ internet

A aranha também e considerada um predador bastante esperto, pois procura montar suas teias em locais em que outros animais não acessam, como por exemplo sobre rios e lagos. A largura da teia também é bastante impressionante, podendo ser montada sobre uma área de 24 metros de uma extremidade à outra, caracterizando-a como a aranha que tem a maior teia do mundo.

A aranha, no entanto, está longe de ser a maior do mundo, medindo apenas algo em torno de três centímetros.

A produção da teia

A aranha inicia a produção da sua teia lançando as linhas de teia sobre as águas, sempre a favor do vento, e essas servirão como ponte entre os locais que servem de sustentação para as teias, já que elas não andam sobre as águas e sequer nadam.

Depois dessa primeira linha, elas começam a construção da área em torno do centro da teia. Outro fator curioso em torno dessa espécie é que a teia inicial não faz parte da área central, sendo usada somente para a estruturação inicial, já que posteriormente constroem uma nova malha.

Suspeita-se que a teia seja usada para capturar uma quantidade enorme de insetos e, até mesmo, alguns pequenos pássaros e morcegos, apesar de não se ter ainda evidências desses acontecimentos.

Veja mais!