Publicado por Robson Merieverton

Ao ver no supermercado aquela infinidade de alimentos, certamente, em algum momento, pode ter vindo a sua cabeça alguns questionamentos sobre a vida útil de cada produto exposto, o que faz com que eles permaneçam aptos ao consumo, sem estragarem. Pois bem, saiba que essa é uma vantagem empregada a partir do uso dos conservantes.

Conhecidos como aditivos alimentares, mais precisamente substâncias químicas (naturais ou sintéticas), elas são usadas para aumentar o tempo de conservação dos alimentos, cosméticos e medicamentos. Eles atuam protegendo o produto da ação de bactérias, fungos, leveduras e quaisquer tipos de organismos que possam tornar o item impróprio para o consumo.

A maioria dos conservantes possui ação bacteriostática, ou seja, que impede o crescimento de micro-organismos que possam estragá-lo. Esses conservantes podem ser categorizados em três tipos: Antimicrobianos, Antioxidantes e Inibidores enzimáticos.

Conservantes, substância usada para fazer os alimentos durarem mais

Foto: depositphotos

Como identificar cada tipo de conservantes

A forma usada no Brasil para que os conservantes sejam indicados nas embalagens seguem regras determinadas pelo Sistema Internacional de Numeração de Aditivos (INS). Sendo assim, eles não aparecem com o nome por extenso e sim através do código numérico correspondente.

Tipos de conservantes

Antimicrobianos – Esse tipo de conservante inibe ou mata micro-organismos que possam alterar a qualidade do produto. Ele atua na absorção da água existente nas bactérias, matando-as. Um exemplo desse tipo de conservante é o cloreto de sódio, ou seja, o sal de cozinha.

Antioxidantes – O conservante atua de forma a impedir a reação do produto com o oxigênio. Um exemplo desse tipo de conservante é a vitamina C.

Inibidores enzimáticos – Conservantes desse tipo impedem que o processo enzimático seja acelerado, ocasionando em uma reação responsável por alterar o estado físico e químico dos produtos.

O uso dos conservantes

Além das já conhecidas propriedades de possibilitar que o alimento, cosmético ou produto dure mais, os conservantes afastam alguns tipos de doenças que poderiam afetar o organismo humano, caso não fossem utilizados.

Porém, em relação a esse ponto, nem tudo é visto como vantagem. A utilização de conservante também pode ser associada ao aparecimento de algumas doenças e distúrbios. Como exemplo aparece o autismo e obesidade. Além disso, alguns deles também podem estar associados ao aparecimento de certos tipos de câncer. Assim, conclui-se que conservantes artificiais ou naturais afetam micro-organismos e também podem afetar a saúde humana.

Veja mais!