Publicado por André Luiz Melo

Não é de hoje que existem disputas religiosas entre o catolicismo e o protestantismo. No passado, durante a Idade Média, a Contra Reforma, movimento também conhecido como Reforma católica, atuou, à época, como freio para a crescente doutrina protestante.

A Santa Inquisição foi a alternativa encontrada pela igreja católica para combater os novos ideais religiosos que surgiam nesse período. Entre os séculos XIII e XIV, o Tribunal da Inquisição exerceu forte poder sob o continente europeu, domínio esse que perdurou apenas até meados do século XV.

Todavia, anos mais tarde, em 1542, esse tribunal foi novamente ativado para promover julgamentos e perseguições contra aqueles que eram acusados de praticar ou disseminar as doutrinas protestantes que surgiam à época.

Já em 1564, o papado criou o Index Libro rum Prohibitorum, uma lista de livros que tinha a proibição do Santo Ofício para leitura dos fiéis católicos. Tal medida ocorreu em decorrência  de algumas publicações impressas e livros estarem difundindo a ideologia do protestantismo.

Contra Reforma católica

Foto: Reprodução

Concílio de Trento

O tempo passava e a igreja católica via cada vez mais fiéis migrarem para as novas doutrinas e ainda os seus dogmas serem contestados. Isso fez com que a ideologia protestante avançasse pela Europa, sobretudo em países como Espanha, Portugal e Itália.

Na tentativa de minimizar os prejuízos e definir de forma concreta a doutrina católica, foi organizado o Concílio de Treno (1545-1563). Tal movimento foi responsável por definir diversas medidas, entre as principais estavam:

Ordenar a disciplina do clero

Antes dos 25 anos não era possível se tornar padre, assim como antes dos 30 não poderia passar a ser bispo. Além disso, os estudos para formação como padre deveria ocorrer em seminários.  

Duplicidade de origem quanto às crenças católicas

A base fundamental da ideologia católica deveria ser na bíblia e/ou nas tradições representadas pela igreja. Também permaneceria o princípio das obras, o culto da Virgem Maria e das imagens sagradas.

Ratificava o poder infalível do papa e a crença da transubstanciação

Assim houve o fortalecimento da autoridade do papado, sobretudo nas decisões finais com relação aos dogmas católicos.

Novas ordens religiosas

A Companhia de Jesus (Ignácio de Loyola – 1534) foi umas das diversas ordens religiosas originadas a partir da Contra Reforma católica. De tal modo que o povo jesuíta se agrupou de forma semelhante aos militares e assim fortaleceram o poder da igreja católica nas nações europeias adeptas ao catolicismo.

Escolas foram criadas com o intuito de educar os descendentes das famílias nobres, além de colégios e missões para a difusão do catolicismo na Ásia e nas Américas.

Veja mais!