Publicado por Natália Petrin

Couraçado é o nome que recebem os veículos marítimos de guerra considerados os mais potentes nesse segmento.

Usados em grandes batalhas, esses veículos são blindados de forma extremamente forte, contando com armas para ataque que alcançam distâncias bastante grandes, além de terem os maiores calibres já existentes.

Esses são maiores, mais seguros e mais potentes do que os contratorpedeiros e os blindados. Curiosamente, o termo couraçado passou a ser usado para significar uma pessoa insensível, preparada para tudo, resistente, comparado ao navio.

História e origem

Também conhecidos pelo nome de encouraçados, os veículos têm sua origem remetendo ao século XVIII. Nessa época, os navios eram clássicos, de linha à vela, e foram usados até o século XIX. Os navios de linha representam o passado dos couraçados, que são como a evolução destes, justamente pelas características comuns de poder de fogo e armamento.

Couraçados: os potentes veículos marítimos de guerra

Foto: depositphotos

No ano de 1906 aconteceu a revolução deste tipo de embarcação: o surgimento do HMS Dreadnought, que era um couraçado da Marinha Real Britânica, que serviu de inspiração e modelo para o desenvolvimento dos outros couraçados que vieram depois.

Usados para a proteção dos territórios e das fronteiras marítimas dos países, os couraçados eram ainda a representação do poder das nações e foram usados por bastante tempo como uma ferramenta de suma importância para a efetivação das estratégias diplomáticas e militares das potências.

Esse mesmo poder pode ser comparado ao que atualmente nos referimos às armas nucleares. A disputa bélica em torno da construção de couraçados que superassem os dos países vizinhos pode ser exemplificada por meio de uma Batalha que, inclusive, é considerada uma das causas do começo da Primeira Guerra Mundial: a Batalha de Jutlândia.

Durante os anos 1920 e 1930 foram realizados tratados internacionais para limitar o armamento naval justamente pelo poder de destruição imenso que os couraçados possuíam.

Novas tecnologias

O tempo foi passando e novas tecnologias foram sendo aplicadas às armas e às estratégias de guerra, mudando um pouco essa supervalorização dos couraçados, que tiveram seu poder questionado.

Facilmente abatidos por torpedos e minas marítimas, com o desenvolvimento destas, os navios começaram a ser substituídos por porta-aviões, que foram os principais navios de linha na Segunda Guerra Mundial. Foram usados, no entanto, durante a Guerra Fria, pela marinha norte-americana nas missões de apoio contra os alvos terrestres.

Apenas em 2006 os últimos encouraçados dos Estados Unidos foram desmontados, mas atualmente passaram a incorporar novas tecnologias e são estudados para que possam, novamente, ser fortes e temidas armas a serem usadas nas guerras.

Veja mais!