Publicado por Priscila Melo

Durante a grande história europeia muitos foram os momentos de transformações e desenvolvimento, que somando todos os acontecidos resultam na Europa da forma como é vista nos dias atuais. Essas transformações fizeram com que ocorressem várias crises e agora falaremos um pouco sobre uma delas, a crise europeia nos séculos XIV e XV.

Crise europeia nos séculos XIV e XV

Foto: Reprodução

Desenvolvimento dos centros urbanos

Durante os períodos dos séculos XIV e XV o sistema medial da Europa caminhava para o seu fim, nesse momento da história ocorreram várias mudanças nos âmbitos sociais, econômicos, políticos e culturais. Essas mudanças aconteceram porque a população buscava a modernidade e para se alcançar o objetivo um preço teria que ser pago.

Durante o século XIV os centros urbanos e o comércio renasciam agora de uma forma diferente, formando novas cidades e fazendo com que o trabalho rural fosse ficando cada vez mais de lado entre a população, que agora buscava por atividades como o artesanato ou o comércio. Ou seja, o crescimento das cidades fazia com que a população deixasse a vida no campo para viver nos centros urbanos, onde almejavam ter melhores condições de vida. Rotas comerciais antes abandonadas, agora eram retomadas, seja por terras ou pelo mar juntando o comércio europeu com o oriental.

Surgimento da burguesia

Com todas essas mudanças e crescimento dos centros urbanos, surge à burguesia, que ficava cada vez mais fortalecida tanto no fator de produção artesanal como também no controle das rotas comerciais. A força adquirida pela burguesia os fez ter a capacidade de confrontar com os antigos membros da nobreza. Ou seja, dá para perceber que agora existiam outras forças e não apenas a da nobreza ou igreja.

Crise nos centros urbanos

O desenvolvimento do artesanato e do comércio trouxe aos centros urbanos um crescimento descontrolado, a população vinha da área rural para as cidades e as condições de higiene nas cidades eram cada vez mais precárias. Tudo isso facilitou o surgimento de uma grande epidemia chamada na época de Peste Negra. Essa doença, proveniente por uma bactéria existente nas pulgas dos ratos, causou a morte de mais de um terço da população vivente da época em 1347.

Crise no campo

A doença acabou se proliferando também à zona rural, chegando a matar milhões de camponeses. A falta de pessoas para trabalhar no campo mais o problema de seca que acontecia no período resultaram em uma pouca produção de alimentos, e com isso, várias foram as pessoas que passaram fome.

As pessoas que ainda ficaram no campo foram a luta em busca de melhores condições de vida, os nobres forçavam a permanência deles em suas terras e esse fator ficou conhecido como “Jacqueries”. As revoltas dos camponeses acabaram sendo reprimidas com violência por parte da nobreza e do clero que se sentiram ameaçados

Guerra dos Cem Anos e fim do feudalismo

Não bastasse todos os problemas já existentes, entre os anos de 1337 e 1453 ocorreu uma grande guerra entre a França e a Inglaterra, guerra essa que ficou conhecida como a “Guerra dos Cem Anos”. A guerra aconteceu devido às divergências de poder entre as duas dinastias existentes. Uma mudança política fez com que existisse então uma centralização do poder em Estados nacionais, o que acabou dando origem aos dois países.

Esse movimento político acabou auxiliando os interesses da burguesia mercantil, que ao ver a chance conseguiu condições necessárias para irem à busca de novas rotas comerciais. Foi quando começa a acontecer as grandes navegações marítimas e o estreitamento da Europa com o continente Africano e Asiático, derrubando por fim o império feudal.

Veja mais!