Publicado por Lia Vieira

Um estudo realizado pelo Ministério do Meio Ambiente constatou a forte e constante degradação do bioma do cerrado brasileiro, causado principalmente pelo desmatamento para ocupação agropecuária. Com a degradação constante, o cerrado brasileiro se tornou um grande emissor de CO2 na atmosfera, além da perda de biodiversidade e serviços ecológicos.

Degradação do cerrado

Foto: Reprodução

Cerrado – Berço das águas

O cerrado possui as principais bacias hidrográficas do país, além de uma rica biodiversidade. O pantanal, por exemplo, depende do cerrado para a sua sobrevivência, tendo em vista que a maior parte das nascentes dos rios que o abastecem, nascem no planalto da bacia hidrográfica, isto é, no cerrado. O bioma cerrado ocupa um quarto do território brasileiro, com uma área de 212 milhões de hectares, presente em 11 estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná.

O bioma do cerrado

Seu bioma compreende três tipos de vegetações além de várias espécies de fauna e flora, sendo eles:

  • Formações florestais: predominância de espécies arbóreas, com formação de um dossel contínuo ou descontínuo (folhagens de árvores muito acima do chão);
  • Formações savânicas: árvores e arbustos espalhados sobre o estrato graminoso, sem a formação de dossel contínuo;
  • Formações campestres: áreas com predomínio de espécies herbáceas (plantas de caule macio ou maleável) e algumas arbustivas (plantas de caule lenhoso, com muitos troncos), sem possuir árvores na paisagem.

Constante incentivo agrícola

Os principais incentivos dentro da região do cerrado estimulam diretamente o desenvolvimento agrícola. Essa região se desenvolveu em alta velocidade, alcançando altos índices de competitividade com outras regiões produtivas do país. Se transformou no celeiro agrícola do país, com a produção de grãos e forte atividade em pastagens. Esse processo acelerou a degradação das terras, uma vez que não foram respeitadas as áreas inaptas às práticas agrícolas, causando perdas incalculáveis de biodiversidade do bioma do cerrado.

Técnicas para a regeneração natural do cerrado

Regeneração natural

Para recuperar áreas cultivadas com florestas de produção agrícolas, após o desmatamento, basta eliminar as árvores plantadas para que ocorra a regeneração natural do cerrado, pois as espécies nativas permanecem no bioma.

Plantio de enriquecimento

Nos locais onde o impacto foi intenso, é comum encontrarmos plantas de cerrado em regeneração, porém, com baixa densidade, com a presença de um número restrito de espécies. Neste caso, é recomendado o plantio de enriquecimento, acelerando e ajudando na recobertura do terreno.

Plantio convencional

O trabalho ocorre em cima da recuperação das nascentes, que é realizada no Mato Grosso, e conta com a ajuda dos índios Ikpengs. Neste caso, coleta-se sementes de espécies nativas para vender aos agricultores e ambientalistas da região, realizando o plantio.

Veja mais!