Publicado por Natália Petrin

A penicilina compreende um importante antibiótico utilizado até os dias atuais, mas não apenas isso. Foi o primeiro antibiótico descoberto pela humanidade e que impactou a medicina. Quando ficamos sabendo de alguma descoberta científica, temos relatos de anos de estudo e pesquisa para que se chegassem às conclusões determinadas, mas como aconteceu de fato com a penicilina?

A descoberta

O descobrimento da penicilina é mérito de Alexander Fleming, um médico inglês, e ocorreu ao acaso. No ano de 1928, o médico estudava a bactéria conhecida como staphylococcus aureus em decorrência de que diversos soldados da Primeira Guerra Mundial tinham ferimentos por armas de fogo com contaminação desta bactéria.

Depois de muito estudo e pesquisas, no entanto, Fleming resolveu tirar férias, interrompendo por um tempo seus estudos que ainda não tinham levado à nada. Por fim, acabou deixando algumas das culturas sem proteção e, ao retornar, percebeu o acontecido: tinha perdido grande parte das culturas. Resolveu jogar fora, mas ao juntar, percebeu que um fungo havia crescido nas culturas desprotegidas e que, nestas, não havia mais indícios de bactérias.

Descoberta da penicilina

Imagem: Reprodução/ internet

Com isso, ele chegou à conclusão de que aquele fungo era capaz de destruir aquela bactéria. Passou, portanto, a estudar o fungo e o identificou como sendo do gênero penicillium. Foi aí que descobriu que o fungo produzia uma substância que destruía as bactérias, a penicilina.

O desenvolvimento

Apesar da descoberta, o isolamento da substância somente se deu dez anos depois, em 1938, quando Ernest B. Chain e Howard W. Florey se dedicaram aos estudos. A primeira vez que a penicilina foi usada em humanos ocorreu no caso de um policial que passava por uma infecção no sangue no ano de 1940.

Nessa época, os três pesquisadores envolvidos na descoberta e no desenvolvimento ganharam o prêmio Nobel de Medicina, e ajudaram a impedir complicações e mortes em torno de doenças como sífilis, difteria, meningite, pneumonia, bronquite e muito mais.

Importância

A penicilina auxiliou de forma muito intensa no desenvolvimento da medicina, permitindo o tratamento de doenças bacterianas. Durante a Segunda Guerra Mundial, por exemplo, a substância fornecida pelo fungo foi produzida em larga escala por meio da fermentação, e isso ajudou a salvar milhares de vidas.

O uso inadequado, no entanto, é responsável, nos dias de hoje, pela resistência das bactérias: essas que tornam-se resistentes e sobrevivem a muitos tipos de antibióticos.

É importante que, ao ser diagnosticado, o uso de antibióticos seja feito somente com orientação médica e seguindo exatamente as recomendações.

Veja mais!