Publicado por Débora Silva

Você já percebeu a variedade imensa de textos que lidamos no nosso dia a dia? Existem vários tipos de textos e cada um deles deve estar de acordo com o que o autor deseja expressar. Uma diferença bastante nítida está relacionada ao tipo de linguagem utilizada, que pode ser formal ou informal.

Nós não nos comunicamos com todas as pessoas da mesma maneira, não é verdade? Por exemplo, você não conversa com os seus professores do mesmo jeito que o faz com seus amigos ou familiares. A língua é viva e os falantes a utilizam conforme a situação de comunicação.

A diferença entre um texto formal e um informal

Foto: depositphotos

O que é texto?

Antes de abordarmos a diferença entre um texto formal e um informal, é importante lembrarmos que a noção de “texto” é mais ampla do que podemos imaginar. Um texto pode ser compreendido como a manifestação linguística das ideias de um autor, seja ele escrito ou falado, de qualquer extensão.

Os textos não são apenas amontoados de palavras ou frases, pois precisam fazer sentido, permitindo que o leitor possa compreender a mensagem transmitida pelo autor.

Texto formal e texto informal

A diferença entre um texto formal e um informal é a linguagem utilizada: linguagem formal ou informal, que representam duas variantes linguísticas utilizadas em situações distintas de comunicação.

Entre amigos e familiares, é comum que façamos uso da linguagem informal (registro informal), isto é, mais descontraída, com o emprego de gírias, por exemplo. A linguagem informal é usada quando há familiaridade entre os interlocutores e as suas características incluem: as variações regionais, o emprego de expressões populares e coloquialismos, palavras abreviadas, relativa despreocupação com o uso das normas gramaticais e utilização de gírias, gestos e onomatopeias. O texto informal é, portanto, bastante comum em conversas cotidianas e mensagens de celular.

Por outro lado, a linguagem formal (registro formal) é aquela usada em situações que requerem seriedade ou quando não há familiaridade entre os interlocutores. É o tipo de linguagem requerida em concursos públicos e vestibulares, discursos públicos ou políticos, reuniões de trabalho, entrevistas de emprego, documentos oficiais, entre outras situações de uso. Na oralidade, a linguagem formal é utilizada quando temos que nos dirigir a alguém mais velho ou de um cargo superior, por exemplo.

As características da linguagem formal incluem o emprego da norma culta da língua portuguesa e a utilização de um vocabulário rico e diversificado, além da pronúncia clara e correta das palavras.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).

Veja mais!