Publicado por Priscila Melo

Existem vários tipos de classificação de palavras e isso depende de muitos fatores. Quando estamos estudando os fonemas e as palavras nos deparamos com algumas classificações que podem nos confundir um pouco, você sabe qual a diferença entre um encontro consonantal e um dígrafo? Cada um deles possui sua especificidade. O que acha de aprender um poucos mais sobre esse assunto agora?

Dígrafos

Foto: Reprodução

Encontros consonantais

Uma das coisas mais importantes que devemos saber é a diferença entre um encontro consonantal e um dígrafo. Sabemos que o encontro consonantal é quando temos duas ou mais consoantes juntas. Estes podem ser divididos em dois grupos:

– Os que têm uma consoante + l ou r e quando ocorre a separação silábica da palavra esse encontro permanece junto. Exemplos: plan-ta, pe-dra, cra-vo, a-tle-ta.

– Os que têm duas consoantes diferentes e quando ocorre a separação silábica da palavra esse encontro se separa. Exemplos: costa, ritmo, lista, port­a.

Existem ainda alguns encontros consonantais que aparecem no início da palavra e por este motivo não se separam. Exemplos: psi-co-lo-gia, pneu, gno-mo.

Como ocorre?

Agora que você já sabe o que é um encontro consonantal, vamos ver o que é um dígrafo e como ele ocorre nas palavras. Quando temos o encontro de duas em uma palavra e o som destas duas é apenas um, dizemos então, que é um dígrafo.

O dígrafo ocorre quando temos duas letras, que geralmente são consoantes, juntas e apenas um fonema. Veja os exemplos:

  • Chaveiro – possui 7 fonemas e 8 letras
  • Pássaro – possui 6 fonemas e 7 letras
  • Ninho – possui 4 fonemas e 5 letras
  • Espantalho – possui 9 fonemas e 10 letras

Os dígrafos podem ser classificados em dois tipos: os dígrafos consonantais e os dígrafos vocálicos.

Dígrafos consonantais

Os dígrafos consonantais ocorrem com as seguintes letras:

  • lh – malha
  • nh – minhoca
  • ch – chuvisco
  • rr – carroça
  • ss – passatempo
  • qu – queijo
  • gu – guerreiro
  • sc – nascer
  • sç – cresço
  • xc – exceção

Dígrafos vocálicos

Os dígrafos vocálicos registram-se nas representações das vogais que são nasalizadas. Veja alguns exemplos:

  • tampa – som ã
  • limpar – som ~i
  • legenda – som ~e
  • tempo – som ~e
  • cantar – som ã
  • lombada – som õ
  • jumbo – som ~u
  • tonto – som õ
  • corcunda – som ~u

É importante observar que toda segunda letra de um dígrafos não possui um fonema, ela é uma letra diacrítica, ou seja, ela constata que tipo de som deverá ser emitido. Tenha sempre muita atenção para não confundir encontro consonantal e dígrafo. E lembre-se que a letra h não é um fonema e sim uma letra que permanece em nosso idioma por uma questão de origem.

Veja mais!