Publicado por Débora Silva

Conhecido como “a molécula da vida”, o DNA (sigla para ácido desoxirribonucleico) é um aglomerado de moléculas que contém o material genético dos seres vivos, sendo também o responsável por transmitir todas as informações genéticas para as células filhas.

O DNA é encontrado principalmente nos cromossomos no interior do núcleo celular, mas também em mitocôndrias e em cloroplastos. O DNA é único para cada indivíduo e, por este motivo, ele costuma ser analisado para identificar um suspeito em investigações criminais.

Histórico de descobrimento do DNA

A história da descoberta do DNA tem início no ano de 1869, com o bioquímico suíço Johann Friedrich Miescher. Na tentativa de identificar os componentes químicos do núcleo celular, o cientista descobriu uma substância até então desconhecida, rica em átomos de fósforo e de nitrogênio. Esta substância foi chamada de nucleína e, depois, de ácido nucleico.

Por volta de 1920, os pesquisadores sabiam que os ácidos nucleicos eram constituídos por três tipos de substâncias químicas: os açúcares, o ácido fosfórico e as bases nitrogenadas.

DNA: 'a molécula da vida'

Imagem: Pixabay

Características do DNA

O DNA é um tipo de ácido nucleico, assim como o RNA, formado por uma base nitrogenada, uma pentose e um grupo fosfato. A molécula de DNA é composta por uma fita dupla de nucleotídeos formada por quatro letras – A, T, C e G, que representam as quatro bases nitrogenadas: adenina, timina, citosina e guanina.

As fitas se unem através de pontes de hidrogênio entre as bases nitrogenadas dos nucleotídeos. As bases nitrogenadas citosina e timina são chamadas de pirimidinas; as bases adenina e guanina são denominadas purinas. A dupla hélice do DNA foi descoberta há apenas 60 anos, sendo publicada em 1953 na revista Nature. Este trabalho realizado por James D. Watson e Francis H. Crick foi bastante importante para a comunidade científica, e conferiu aos pesquisadores o Prêmio Nobel de Medicina. A descoberta da dupla hélice contribuiu para responder questões acerca da duplicação do DNA e transmissão de genes.

Na duplicação, ocorre o seguinte processo: as pontes de hidrogênio se desfazem para que as cadeias se separem com a ajuda de enzimas; após a separação, uma nova cadeia (cadeia complementar) começa a ser formada, com o auxílio da enzima DNA-polimerase. Na fita de DNA, a adenina sempre se liga à timina, e a guanina sempre se liga à citosina.

As várias e diferentes combinações dos compostos do DNA podem alcançar mais de 3 bilhões em cada célula e produzem a variabilidade dos seres vivos.

Cromossomos

As sequências de DNA formam os cromossomos, que estão em diferente número em cada organismo. O ser humano, por exemplo, possui 46 cromossomos, sendo 23 recebidos da mãe e os outros 23, do pai.

Gene

Os genes são as partes funcionais do DNA, as sequências especiais de centenas ou milhares de pares (como A-T ou C-G) que fornecem as informações básicas para a produção de todas as proteínas necessárias para o organismo.

Genoma

O genoma é toda a informação hereditária de um organismo que está codificada em seu DNA (ou no RNA, no caso de alguns vírus).

Veja mais!