Publicado por Katharyne Bezerra

Você já parou para pensar como se forma a urina? Bem, é certo que todas as partes do nosso corpo possuem uma função específica e que sem cada uma delas ficaria complicado para o organismo trabalhar corretamente. É como se cada ser humano abrigasse dentro de si uma grande máquina, que com um parafuso a menos, o risco de quebrar aumenta.

São células, tecidos, órgãos e, por fim, sistemas. E dentre todas essas grandes engenhocas, existe a que é responsável pela a urina, chamado de sistema urinário, formado pelos rins e pelas vias urinárias (ureter, bexiga e uretra).

Afinal, como é produzida a urina?

Dentro dos rins – órgãos que possuem um formato de feijão, com uma coloração marrom-avermelhada – existem unidades funcionais chamadas néfrons. Estima-se que cada rim possui um milhão de néfrons.

Para se ter uma ideia, o corpo humano produz 20 litros de urina

Foto: Reprodução/ internet

Essas particularidades se formam através de seus componentes, portanto, nas suas estruturas é possível observar, respectivamente, o corpúsculo renal e o túbulo néfrico. O primeiro possui a cápsula glomerular, responsável pelo envolvimento de capilares chamados de glomérulos. Já o segundo é dividido em três partes essenciais: túbulo proximal, alça de henle e túbulo distal. Por fim, chega ao ducto coletor.

Existem artérias que ao chegarem nos rins se transformam em ramificações finas, as quais recebem o nome de arteríolas, essas por sua vez são responsáveis pela entrada e saída de sangue na região dos rins e são dividas em aferente, as que trazem o sangue para ser filtrado, formando o glomérulo, e a eferente, que leva a substância escolhida para todo corpo. Essas estruturas fazem a produção da urina ser dividida em três partes: filtração, reabsorção e secreção.

O que acontece na filtração?

Primeiramente, os líquidos ingeridos pelo ser humano são enviados para os rins e então são filtrados, esse processo ocorre na cápsula glomerular. O conteúdo extraído dessa filtração é chamado de filtrado glomerular ou até mesmo de urina inicial. Essa substância não possui proteínas e lembra a consistência do plasma sanguíneo.

Segunda fase: reabsorção

Essa é uma das etapas mais importantes para o equilíbrio do corpo humano, uma vez que é nessa estrutura que ocorre a reabsorção de substâncias que são úteis para o nosso organismo, entre elas podemos citar: água, sódio, glicose, aminoácidos, vitaminas e sais minerais diversos. No caso dos diabéticos, a glicose não consegue ser reabsorvida, pois são encontradas em grandes quantidades.

Por isso, essa fase é responsável pela composição final da urina, uma vez que é através da reabsorção ocorrente no túbulo néfrico, principalmente nos túbulos proximais, que é selecionado o que fica e o que é liberado do corpo, funcionando como uma espécie de peneira.

Neste mesmo período, ocorre a concentração da urina formada, e também a sua regulação, feita através da secreção do hormônio antidiurético (ADH), pela neuro-hipófise. Podemos dizer que ele é responsável pela diminuição dos escretos. Para se ter uma ideia, o corpo humano produz 20 litros de urina e o ADH diminui essa quantidade para 1,5 litros.

Como o ADH é responsável pelo controle de urina, quando bebemos pouca água a sua liberação se torna maior, sendo uma maneira do corpo diminuir a eliminação dessa substância que já se encontra reduzida.

Por fim, a secreção

As substâncias que passaram direto na peneira da reabsorção são lançadas na urina por meio da secreção. Entre elas, podemos citar o ácido úrico, a ureia, o cloreto de sódio e a amônia.

Curiosidade

A cor da urina é um reflexo da quantidade de água ingerida por cada ser humano. Se uma pessoa bebe pouca, por exemplo, a urina ganha uma coloração amarelo escuro, mais concentrada. Porém, se é ingerida muita água, o líquido fica claro, um sinal de saúde equilibrada.

Veja mais!