Publicado por Débora Silva

Como você já viu em todos os seus anos de estudo, na Gramática Normativa da Língua Portuguesa, nós temos várias classes gramaticais que possuem as suas próprias características, como os substantivos, numerais, pronomes, artigos, verbos, advérbios, preposições, interjeições, conjunções e outros.

Neste artigo, vamos falar sobre as conjunções, uma classe de palavras invariáveis que unem termos de uma oração ou unem orações.

O que são conjunções?

As conjunções são palavras invariáveis que servem para ligar orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração, estabelecendo entre eles uma relação de dependência ou de coordenação.

Entendendo o que são conjunções. Veja exemplos

Foto: depositphotos

Classificações das conjunções

As conjunções são classificadas em coordenativas ou subordinativas. Saiba mais a seguir:

Conjunções coordenativas

As conjunções coordenativas ligam elementos sintaticamente equivalentes. Dividem-se em:

 

– Aditivas: Estabelecem uma relação de ligação, de soma entre duas orações.

Exemplos: Patrícia é professora e tradutora.
Jorge correu e descansou.

Principais conjunções aditivas: e, nem, mas também, bem como

 

– Adversativas: Ligam duas orações ou palavras, expressando ideias contrárias, de oposição.

Exemplos: Eu corri muito, porém não alcancei o trem.
Márcia trabalha muito, mas ganha pouco.

Principais conjunções adversativas: porém, mas, contudo, todavia, no entanto

 

– Alternativas: Ligam orações ou palavras, expressando ideia de alternância.

Exemplos: Ora ele ri, ora ele chora.
Ou você desliga a televisão ou eu saio de casa.

– Principais conjunções alternativas: ou…ou, ora…ora, quer…quer

 

– Explicativas: Ligam a oração anterior a uma oração que a explica, que dá um motivo ou razão.

Exemplos: É melhor levar um guarda-chuva porque está parecendo que vai chover logo.
Feche a porta, que está fazendo muito barulho.

Principais conjunções explicativas: porque, que, pois, já que, visto que

 

– Conclusivas: Ligam a oração anterior a uma oração que expressa ideia de conclusão ou consequência.

Exemplos: Não estudou, logo foi mal na prova.
Eu treinei muito para o exame de direção, portanto não fiquei nervosa.

Principais conjunções conclusivas: portanto, logo, por isso, assim, consequentemente

 

  • Conjunções subordinativas

As conjunções subordinativas ligam orações sintaticamente dependentes. Saiba mais a seguir:

 

– Causais: Estabelecem uma relação de causa e consequência.

Exemplos: Não fui ao cinema porque tinha de estudar.
Como o frio era grande, decidimos ficar em casa.

Principais conjunções causais: porque, visto que, uma vez que

 

– Comparativas: Iniciam uma oração que contém uma comparação.

Exemplos: Era mais verde do que é agora.
“Dançou e gargalhou como se ouvisse música” (Construção – Chico Buarque)

Principais conjunções comparativas: como se, que, do que, tão…como, mais… do que

 

– Concessivas: Indicam uma concessão, uma contradição.

Exemplos: Embora estivesse cansado, João foi à academia.
“Apesar de você amanhã há de ser outro dia” (Apesar de Você – Chico Buarque)

Principais conjunções concessivas: apesar de, embora, ainda que

 

– Proporcionais: Expressa ideia de proporção.

Exemplos: Tudo isso vou lendo enquanto ouço música.
À medida que o dia passava, mais cansado ele se sentia.

Principais conjunções proporcionais: à medida que, ao passo que, quanto mais, à proporção que

 

Temporais: Indica circunstância de tempo.

Exemplos: Custas a vir e, quando vens, não demora.
Implicou comigo assim que me viu

Principais conjunções temporais: quando, antes que, depois que, até que, logo que, assim que, desde que

 

-Finais: Indica a finalidade, objetivo.

Exemplos: Aqui vai o livro para que o leia.
Fiz-lhe sinal que se calasse.

Principais conjunções finais: para que, a fim de que, porque

 

-Consecutivas: Indica a consequência.

Exemplos: Soube que tivera uma emoção tão grande que Deus quase a levou.
Falou tanto na reunião que ficou rouco.

Principais conjunções consecutivas: tanto que, tal que,  de forma que, de maneira que

 

-Condicionais: Indica uma condição.

Exemplos: Seria mais poeta, se fosse menos político.
Caso eu esteja melhor, irei com você no Sábado.

Principais conjunções condicionais: se, caso, contanto que, salvo se, desde que, a menos que

 

-Integrantes: Introduzem as orações substantivas.

Exemplos: Não sei se existe ou se dói.
Espero que você não demore.

Principais conjunções integrantes: que, se

 

-Conformativas: Exprime conformidade.

Exemplos: Conforme o que eu havia dito, não viajarei.
“Tal foi a conclusão de Aires, segundo se lê no Memorial.” (Machado de Assis)

Principais conjunções conformativas: conforme, como, segundo, consoante

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 

Veja mais!