Publicado por Débora Silva

A gramática trata de diversos fatos linguísticos que pertencem a divisões específicas de estudo, incluindo a Fonética, responsável pelo estudo dos sons da fala. Essa parte da linguística trata, dentre outros tópicos, dos fonemas. Mas, o que são fonemas?

Em sua “Novíssima Gramática da Língua Portuguesa”, o gramático Domingos Paschoal Cegalla define os fonemas como as menores unidades sonoras da fala. Quando articulados e combinados, essas unidades formam as sílabas e os vocábulos.

No sistema fonético do português falado no Brasil existem cerca de 33 fonemas.

O conceito de fonema

Entendendo os fonemas. Aprenda o assunto de forma descomplicada

Foto: depositphotos

De acordo com Cegalla, os fonemas funcionam como elementos distintivos ou diferenciadores das palavras, uma vez que são capazes de diferenciar umas de outras.

Confira as sequências a seguir:

Mala
Mola
Mula

Gato
Mato
Pato

Mal
Mar
Mas

Para não confundirmos os estudos, é importante ressaltar que o fonema é som; e letra é o sinal gráfico que representa o som. Quando falamos, usamos fonemas; para escrever, empregamos as letras.

Diferença entre fonemas e letras

Na escrita, os fonemas são representados por signos ou sinais gráficos denominados letras. Seria ideal que a cada fonema correspondesse uma só letra, e vice-versa, porém não é isso que acontece. Consideremos, por exemplo, a palavra “girafa”, que se inicia com a consoante “g”. Agora vamos pensar juntos: há, na língua portuguesa, outra letra que apresente o mesmo som da letra “g”? Sim, a letra “j”.

Com esse exemplo, podemos comprovar que o mesmo som (fonema) pode ser representado por duas letras diferentes.

O gramático Cegalla ainda lista outros dados sobre a representação dos fonemas. Confira a seguir:

  • A mesma letra pode representar fonemas diferentes: exame, xale.
  • O mesmo fonema pode ser figurado por letras diferentes: casa, exílio, laje.
  • Um fonema pode ser representado por um grupo de duas letras (denominado dígrafo): machado, mulher, missa.
  • A letra “x” pode representar, ao mesmo tempo, dois fonemas diferentes: táxi, fixo, tórax.

Classificação dos fonemas

Os fonemas da língua portuguesa são classificados em vogais, semivogais e consoantes.

Vogais

As vogais são os fonemas sonoros que, ao passar pela boca entreaberta, chegam livremente ao exterior sem fazer ruído. São elas: a, e, i, o, u.

Semivogais

As semivogais são os fonemas /i/ e /u/ átonos que se unem a uma vogal, formando uma só sílaba. Exemplos: vai, andei, ouro, água.

Consoantes

As consoantes são definidas como ruídos provenientes da resistência que os órgãos bucais opõem à corrente de ar.

O gramático Cegalla destaca que, na língua portuguesa, a vogal é o elemento básico, suficiente e indispensável para a formação da sílaba; já as semivogais e as consoantes são fonemas dependentes, pois só formam sílabas com o auxílio das vogais.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).

Veja mais!