Publicado por Robson Merieverton

A partir do contexto de uma frase, você pode identificar o papel que o verbo exerce sobre os demais elementos. Sendo assim, não é raro aparecerem algumas dúvidas a respeito dos verbos de ligação e de ação.

Porém, distingui-los pode ser mais fácil do que você pode imaginar. Para saber como proceder com cada um desses verbos, inicialmente, preste atenção na definição de cada um deles.

Verbos de ligação

Os verbos de ligação têm o papel de fazer a ligação entre o sujeito e suas características, como o próprio nome já sugere. A característica em questão é classificada de “predicativo do sujeito”.

Entendendo quando um verbo é de ligação ou de ação

Foto: depositphotos

Já este último é responsável por modificar o sujeito, informando alguma coisa a respeito dele. Os principais verbos de ligação são: ser, estar, parecer, permanecer, ficar, continuar e andar (no sentido figurado).

Exemplos:

-O carro é vermelho.

Pedro está feliz.

Amanda parece doente.

-A festa permanece animada.

-João ficou triste.

-Diana continua sorridente.

-Maria anda nervosa.

Existem casos em que os verbos podem aparecer como transitivos e intransitivos. Essas duas formas de classificação estão diretamente ligadas ao contexto que eles aparecem nas frases.

Verbos de ação

Os verbos de ação possuem significado próprio e revelam algo que está sendo realizado pelo sujeito, dentro da frase. Os verbos de ação estão presentes no predicado verbal e no predicado verbo-nominal. Alguns exemplos de verbo de ação são: sair, bater, ir, vir, beber, gritar, entre outros.

O verbo de ação tem, no mínimo, um argumento, ou seja, algo que lhe complete o significado. Quando existem dois ou três argumentos, os outros verbos que seguem serão complementos, não sendo “afetados” pela ação verbal.

Exemplos:

-O cachorro virou a mesa.

-Fui de carro para a faculdade.

-Estou comendo pastel.

-Mudei de casa.

-Ensinei muitas coisas para o meu colega.

-Li um livro em dois dias.

Veja mais!