Publicado por Débora Silva

A escravidão no Brasil ocorreu desde o período colonial até o final do Império, sendo marcada, principalmente, pela exploração da mão de obra negra, trazida da África e transformada em escrava pelos colonizadores do país. Além da escravidão dos negros, também ocorreu a escravidão indígena.

Os escravos foram utilizados na agricultura, destacando-se a atividade açucareira, e na mineração, além de alguns deles desempenharem vários tipos de serviços domésticos e urbanos.

Escravidão no Brasil

Foto: Reprodução

O início da escravidão no Brasil

No Brasil, o início da escravidão ocorreu na primeira metade do século XVI, na produção de açúcar. Os brancos tentaram obrigar os indígenas a trabalharem nos engenhos de açúcar e os portugueses traziam os negros africanos para utilizá-los como mão-de-obra escrava. Eram transportados nos porões de navios negreiros em condições desumanas e muitos morriam antes de chegar ao Brasil. As primeiras regiões a receberem escravos africanos foram a Bahia e Pernambuco, devido à produção de açúcar. Em terras brasileiras, estes africanos eram vendidos como se fossem mercadorias. Nas fazendas de açúcar ou nas minas de ouro, os escravos também eram maltratados, com uma carga excessiva de trabalho de sol a sol, vestindo trapos de roupa, alimentação de péssima qualidade e passando as noites nas senzalas, acorrentados para evitar possíveis fugas. Também eram castigados fisicamente, sendo o açoite a forma de punição mais comum no período do Brasil colônia.

Os negros africanos também eram proibidos de praticar a sua religião, festas e rituais, sendo obrigados a seguir a religião católica, imposta pelos senhores de engenho. Apesar de toda a imposição e restrições, eles não deixaram a cultura africana sumir e, escondidos, realizavam os seus rituais e festas e desenvolveram uma forma de luta, a capoeira.

Os quilombos

Normalmente construídos em lugares de difícil acesso, os quilombos eram os lugares onde os escravos viviam em liberdade, produziam o seu próprio alimento e cultivavam a sua cultura.

O quilombo mais famoso da história do Brasil é o quilombo de Palmares, que era localizado em Alagoas e possuía cerca de 20 a 30 mil habitantes, tendo Zumbi como o seu líder de destaque.

O fim da escravidão no Brasil

A partir da Independência Brasileira, em 1822, as pessoas passaram a ter uma maior consciência antiescravista, acreditando em uma sociedade livre onde não haveria espaço para a escravidão.

No ano de 1850, a Assembleia Geral aprovou a Lei Eusébio de Queiroz, que dava fim ao tráfico. Porém a prática ainda era realizada. Em 1871, foi assinada a Lei do Ventre Livre, que declarava que todos os filhos de escravos nascidos a partir da data estariam livres.

No ano de 1885, a Lei dos Sexagenários declarava libertos todos os escravos acima de 60 anos. Por fim, no dia 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, extinguindo a escravidão do Brasil.

Veja mais!