Publicado por Prof. Nathália Duque

Com exceção das plantas carnívoras, as demais plantas não conseguem caçar seu alimento e por isso precisam fabricá-lo. Esse processo é chamado fotossíntese.

Na fotossíntese, a planta produz seu próprio alimento, que mais tarde será digerido para lhe fornecer energia. As plantas são seres vivos como qualquer outro animal ou ser humano, mas elas funcionam de uma maneira diferente da nossa.

Todo ser vivo precisa se alimentar. No caso dos animais, eles caçam sua comida. Já os alimentos fabricados na fotossíntese serão utilizados pela própria planta para mantê-la viva, forte e em crescimento.

A liberação da energia desses alimentos é feita pela respiração celular. A nutrição e o desenvolvimento da planta dependem do equilíbrio entre dois processos: a fotossíntese, que depende da luz e a respiração, que não depende da luz.

Fotossíntese

Como vimos, a fotossíntese é um processo realizado pelas plantas para obterem seu próprio alimento. Sendo assim, podemos dizer que é um processo autotrófico.

Planta sob o sol

Além das plantas, outros seres vivos também podem realizar o processo de fotossíntese (Foto: depositphotos)

Além das plantas, outros seres vivos que possuem clorofila, também conseguem realizar a fotossíntese, como por exemplo: alguns protistas, bactérias fotossintetizantes e cianobactérias.

Tirando as bactérias fotossintetizantes, os demais seres usam na fotossíntese o gás carbônico (CO2) e a água (H2O), formando carboidratos e gás oxigênio (O2), que é liberado para o meio ambiente.

Quando acontece a liberação de gás oxigênio, esse tipo de fotossíntese é chamada fotossíntese oxigena.

Fórmula geral desse processo

Existe uma fórmula ou equação geral para representar o processo da fotossíntese. Essa fórmula mostra que, na presença de luz e clorofila, o gás carbônico e a água são usados para produzir carboidrato (glicose), gás oxigênio e água. Observe:

6 CO2 + 12 H2O      C6H12O6 + 6 O2 + 6 H2O

Etapas da fotossíntese

Apesar da fotossíntese ser representada por apenas uma fórmula ou equação geral, a fotossíntese não ocorre em uma única reação química. São várias reações que acontecem, que são organizadas em duas etapas: fase clara e fase escura.

A primeira etapa é chamada de fase clara ou fotoquímica. Essa fase recebeu esse nome devido a presença de energia luminosa.

Já a segunda etapa é chamada de fase escura ou química. Nesta fase não há presença direta de energia luminosa.

Como as plantas conseguem produzir seu próprio alimento?

Elas precisam de alguns ingredientes para isso, são eles:

A água é absorvida do solo através das raízes da planta, juntamente com os sais minerais que vão deixar o alimento mais rico em nutrientes.

Essa mistura de água e sais minerais é chamada de seiva bruta e é transportada da raiz até as folhas da planta, por vasos condutores chamados xilemas.

Quando a seiva bruta chega à folha ela é misturada com o gás carbônico. Esse gás está presente no ar que nós respiramos, e as plantas o obtêm da mesma forma que nós: através da respiração.

E como as plantas respiram, se elas não têm nariz? Através de uma estrutura presente nas folhas chamada estômato.

Também é na folha que essa seiva se mistura com a luz do sol. A luz é absorvida pela planta através da folha, que possui um pigmento chamado clorofila.

É esse pigmento que dá a cor verde das folhas, mas também é ele o responsável por captar a luz do sol.

Que alimento é esse que as plantas comem?

Quando a planta já possui água, luz solar e gás carbônico, ela junta tudo e produz a glicose. Glicose é um tipo de açúcar que vai nutrir a planta e dar a ela bastante energia para realizar suas atividades, como crescer, gerar flores e frutos.

Essa glicose é transportada das folhas para as outras partes da planta, através de vasos condutores chamados floemas, para que todas as células possam se alimentar.

E assim como todo ser vivo, depois de comer, a planta precisa eliminar os nutrientes que não são necessários para ela. Então ela libera no ar o gás oxigênio, que é o mais importante para a nossa respiração e sem ele nós não conseguiríamos viver.

Por isso, é muito importante preservar as plantas, pois sem elas não teremos oxigênio e consequentemente, não conseguiremos viver.

Qual a importância dos seres fotossintetizantes?

Os seres fotossintetizantes são fundamentais para a manutenção da vida em nosso planeta, pois, além de serem a base da maior parte das cadeias alimentares, produzem oxigênio.

O gás oxigênio é mantido na atmosfera em quantidades adequadas, graças aos organismos fotossintetizantes.

Sem a fotossíntese não haveria alimento para os seres vivos, nem oxigênio disponível na atmosfera.

Os seres humanos e os demais animais necessitam diretamente do gás oxigênio para sua sobrevivência. A fotossíntese é tão importante que ela inicia a maioria das cadeias alimentares do planeta.

Nós e os demais seres vivos somos considerados heterotróficos, ou seja, organismos não fotossintetizantes.

Os carboidratos e a alimentação

É fundamental incluir carboidratos na nossa dieta. Muitos deles são produzidos pelas plantas, como a glicose, o amido e a celulose. De modo geral, os carboidratos são importantes como fonte de energia.

Glicose

É um carboidrato simples, que ocorre nas plantas, principalmente nos seus frutos. Tem função de fonte de energia. É representada pela fórmula C6H12O6.

Amido

É formado pela união de várias moléculas de glicose. É encontrado nos vegetais e tem função de reserva de energia.

Celulose

Encontrado principalmente nas plantas, participa da formação da parede celular dos vegetais e quando é consumida pelos seres humanos, ela não é digerida.

É popularmente conhecida como fibras. A ingestão de suas fibras são necessárias ao organismo para estimular o funcionamento do nosso intestino, evitando o chamado “intestino preso”, que pode ocasionar doenças como hemorroidas e câncer intestinal.

Na dieta dos seres humanos, as fibras são importantes para o bom funcionamento dos intestinos.

*Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

ZAGO, Leciana Menezes et al. “Fotossíntese: uma proposta de aula investigativa“. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. S1, p. 759-761, 2007.

DIAS-FILHO, Moacyr Bernardino. “A fotossíntese e o aquecimento global“. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2006.

GOMES, Luciana Maria de Jesus Baptista; MESSEDER, Jorge Cardoso. “Fotossíntese e Respiração Aeróbica: vamos quebrar a cabeça? Proposta de jogo“. Revista de Ensino de Bioquímica, v. 12, n. 2, p. 91-107, 2014.

Veja mais!