Publicado por Anna de Cássia

Os adjetivos são diferentes dos substantivos na hora de fazer a flexão do grau. Não é apenas acrescentar um sufixo para que todos os problemas estejam resolvidos. Porém, isso não quer dizer que o grau dos adjetivos seja algo difícil – pelo contrário, é bastante fácil. Não acredita? Veja:

Grau dos adjetivos

Foto: Reprodução

Para que se usa o grau dos adjetivos

Quando nós desejamos intensificar ou comparar as características de um determinado substantivo, entra em ação o adjetivo de grau comparativo ou o adjetivo de grau superlativo. Vamos conhecer melhor esses dois graus de adjetivos.

Grau comparativo

O grau comparativo é utilizado para fazer uma comparação entre dois ou mais substantivos, podendo ser uma comparação de igualdade, inferioridade ou de superioridade. Veja os exemplos para entender melhor:

  • Comparativo de superioridade: Marcos é mais alto que Pedro.
  • Comparativo de inferioridade: Marcos é menos alto que Pedro.
  • Comparativo de igualdade: Marcos é tão alto quanto Pedro.

OBS: Não se pode utilizar “mais bom”, “mais ruim”, “mais grande” “mais pequeno”, no lugar desses termos comparativos você deve usar “melhor”, “pior”, “maior” ou “menor”.

Grau superlativo

Nesse grau do adjetivo nós não estamos comparando uma característica com outra, mas sim estamos damos uma intensidade é independente. O grau superlativo pode ser dividido em relativo e absoluto.

Grau superlativo relativo

Neste tipo de superlativo, a intensidade que queremos dar ao adjetivo é quando ele se refere a um substantivo em relação aos demais seres de uma coletividade. Ou seja, o substantivo faz parte de um todo, e o superlativo relativo é quando intensificamos esse substantivo perto do todo. Entenda melhor com os exemplos:

  • Superlativo relativo de superioridade: Laura é a mais participativa de todas as alunas da sala.
  • Superlativo relativo de inferioridade: Laura é a menos participativa de todas as alunas da sala.

Grau superlativo absoluto

O superlativo absoluto pode ser subdividido em duas partes: absoluto analítico e absoluto sintético. O analítico é quando o adjetivo é acompanhado de um advérbio que vai lhe intensificar. Assim como nos exemplos:

  • A minha boneca nova é muito bonita.
  • Vovó é demasiadamente gentil.
  • Hoje o dia está bastante frio.

Já o superlativo sintético utiliza sufixos no final dos adjetivos. Na maioria das vezes apenas acrescenta-se ao final da palavra o sufixo “-íssimo”. Veja os exemplos a seguir:

  • Este vestido novo que Carol ganhou é belíssimo.
  • Nós tivemos uma tarde agradabilíssima.
  • O carro de papai foi caríssimo.

Veja mais!