Publicado por Priscila Melo

Assim como algumas das outras classes gramaticais, a dos advérbios pode variar bastante. E entre as suas flexões temos a de grau, mas você já parou para observar como isso pode acontecer? Geralmente quando falamos de grau estamos nos referindo ao aumentativo e ao diminutivo. Mas como isso seria aplicado aos advérbios, você sabe? Iremos descobrir agora, fique atento!

Os advérbios

O advérbio é a classe gramatical daquelas palavras que têm a função de modificar um verbo, um adjetivo ou até mesmo um outro advérbio. Ele raramente modifica um substantivo.

Indica as circunstâncias em que ocorre determinada ação verbal, e apenas os advérbios de intensidade, de lugar e de modo é que podem ser flexionados, os outros tipos de advérbios são invariáveis.

Grau dos advérbios

Foto: Reprodução

O grau dos advérbios

Como já foi dito anteriormente, os advérbios geralmente são invariáveis, porém existem alguns tipos de advérbios, os de intensidade, de lugar e de modo, que podem ser flexionados quanto ao seu grau, mas nunca quando ao gênero e ao número.

Desta forma, podemos classificar os advérbios quanto ao grau comparativo e superlativo. Entre essas duas classificações, podemos ainda subdividir em mais outras partes, o grau comparativo pode ser: de igualdade, de superioridade ou de inferioridade. Já o superlativo pode ser analítico ou sintético.

 O grau comparativo

Como o próprio nome já diz, esse grau tem a função de comparar, mas como seria essa comparação? De acordo com a intensão esse grau pode variar entre o de igualdade, de superioridade e de inferioridade. Vamos ver agora cada um deles e alguns exemplos:

  • Comparativo de igualdade – neste, comparamos um ser/coisa a outro de forma igualitária. Exemplos: Ela escrevia tão bem quanto a sua irmã. José possuía tanta coragem quanto o seu melhor amigo.
  • Comparativo de superioridade – neste, comparamos um ser/coisa a outro de forma que um é superior ao outro. Exemplos: Ela escrevia melhor que a sua irmã. José possuía mais coragem que o seu melhor amigo.
  • Comparativo de inferioridade – neste, comparamos um ser/coisa a outro de forma que um é inferior ao outro. Exemplos: Ela escrevia pior que a sua irmã. José possuía menos coragem que o seu melhor amigo.

Observe que no lugar de dizermos “mais bem” ou “mais mal” utilizamos “melhor” ou “pior”. Fique atento para não cometer esse erro.

O grau superlativo

O grau superlativo tem a função de expressar as qualidades em um grau muito elevado ou até em um grau máximo. Este pode ser classificado como superlativo analítico ou superlativo sintético. Veja a diferença entre cada um deles e alguns exemplos:

  • Superlativo analítico – este é determinado de acordo com o emprego de um advérbio de intensidade. Exemplos: Ela está muito longe da sua casa. Juliana acorda muito tarde no fim de semana.
  • Superlativo sintético – este é determinado de acordo com o emprego do sufixo “-íssimo”. Exemplos: Ela está longíssima da sua casa. Juliana acorda tardíssimo no fim de semana.

Veja mais!