Publicado por Katharyne Bezerra

Na escola há uma divisão nas matérias estudadas pelos alunos. Algumas, geralmente, só são vistas após anos, são chamadas “ciências duras” ou “ciências exatas”, por exemplo química e física. Provavelmente você ainda não as viu no colégio, isso porque só são passadas para os estudantes a partir do ensino médio. Recebem este nome, pois são estudos que têm como principal característica a exatidão.

Fazendo uma relação com a exatidão temos a objetividade, ambos os conceitos são usados para alcançar um resultado final concreto. Então, você acha que esses métodos também se aplicam ao estudo da história?

Ciências humanas X Ciências duras

Primeiramente, precisamos entender o que cada uma delas estuda e como elas chegam ao resultado final. No caso das ciências duras, conhecidas como a química e a física, os estudos se baseiam em algo que é real, palpável, existente e que pode ser colhido e levado para um laboratório, onde será realizado um estudo ainda mais detalhado sobre aquele fator.

História: o estudo a partir da observação do passado

Foto: depositphotos

Em contrapartida esta as ciências humanas, que neste caso específico trata-se da história. Nessa matéria são estudados assuntos passados, que refletem no presente e que vão fazer diferença no futuro. Sendo assim, um historiador, diferentemente do químico, não pode está presente nos acontecimentos do fato estudado.

Na prática, podemos dizer que um pesquisador da área da química colhe um elemento na natureza e o leva para ser analisado, já o historiógrafo não pode estar presente em fatos vividos no passado e seus estudos são feitos a partir de outros princípios.

Afinal, há ou não objetividade na história?

Os estudos históricos são feitos a partir da observação do passado que  já foi descrito por um outra pessoa. Por meio de documentos oficiais ou não, através de relatos, de descobertas arqueológicas etc., é possível redesenhar o passado para ser compreendido e estudado pelas pessoas no presente. Além disso, tendo como base esses recursos, os historiadores conseguem vislumbrar o futuro.

Outro fato curioso, é que a história não surge de apenas um olhar. Ela é construída por diversas pesquisas e por muitas pessoas. Saber as datas de quando aconteceram determinadas guerras parece ser algo complicado e até impossível para quem não estava presente, mas com o levantamento de dados feito por esses profissionais o trabalho acaba tendo um resultado final coerente.

Concluindo, a ação do homem através do tempo é o que se caracteriza o objeto da história. Descrita e carregada de intenções, impessoalidade, paixões, motivações e erros. Para esse estudo, o melhor método de conclusão a cerca dos assuntos, não é o utilizado pelas ciências duras, mas sim esse que conta com as contradições do ser humano, que leva em consideração os vários olhares, perspectivas e interpretações dos autores da história. Interpretando, explicando e narrando movimentos históricos, criando neles uma linha de coerência e de tempo.

Veja mais!