Publicado por Lia Vieira

O termo historiografia é composto a partir do termo “história”, que vem do grego e significa pesquisa, e o termo “grafia” (que também vem do grego), significa escrita. Sendo assim podemos perceber que o termo historiografia possui o sentido mais claro e obvio, sendo a escrita, de uma pesquisa ou registro de uma história.

A historiografia registra através da escrita transformações mundiais, valores e ações dos seres humanos, diante do resgate do tempo e do espaço, abordando os mais diversos tipos de intervenções já realizadas, em diferentes períodos e circunstâncias, de forma neutra, sem privilegiar personagens.

Historiografia

Foto: Reprodução

Historiografia usada para estudos críticos

A historiografia também é muito utilizada para definir estudos críticos sobre aquilo que foi escrito na história no passado, como por exemplo, um historiador da atualidade que realize um estudo crítico sobre o trabalho de um antigo historiador, como por exemplo, o trabalho de Heródoto (que viveu na Grécia Antiga, escrevendo sobre o seu período), neste caso, o atual historiador está produzindo um trabalho de historiografia.

Correntes da historiografia

  • Positivismo: privilegia o estudo cronológico dos fatos históricos, sem realizar analises críticas.
  • Materialismo histórico: estudo desenvolvido por Karl Marx, enfatiza o aspecto econômico da sociedade dentro do estudo de sua história.
  • Escola dos Annales: criada pelos historiadores franceses Lucien Febvre e Marc Bloch em 1929, incorporando estudos e aspectos da Antropologia, Psicologia, Geografia e Filosofia, popularmente conhecido como escola das mentalidades.

História da historiografia

Os primeiros autores responsáveis a terem consciência de produzir material com o intuito de registrar, construindo uma pesquisa com a finalidade de não deixar os acontecimentos e feitos de sua época se perderem no tempo foram os historiadores gregos, onde para muitos, Heródoto é considerado o “pai da história”, grandes historiadores romanos também trabalharam em desenvolver sua própria historiografia, como é o caso de Cícero, Políbio e Tácito.

Posteriormente judeus e cristãos também passaram a desenvolver a sua própria historiografia, como por exemplo Eusébio de Cesareia, autor da História Eclesiástica, e Flavio Josefo, autor da História Hebraica.

Houve também uma historiografia medieval, tanto cristã quanto islâmica e posteriormente uma historiografia renascentista, como é o caso de Maquiavel e Guicciardini. Apenas após o século XIX que a história passou a ser considerada uma disciplina propriamente “cientifica”, com a peculiaridade de sua escrita.

Historiografia e a ideologia de seus historiadores

Atualmente a historiografia é discutida em diversos aspectos, no que se refere a visão ideológica de seus historiadores. Hoje falasse muito em tipos de historiografias, que se ajustam a determinada ideologia ou nacionalidade, como por exemplo, podemos citar “historiografia marxista”, “historiografia francesa” ou “historiografia conservadora”, entre outras opções.

Veja mais!