Publicado por Priscila Melo

Alguma vez você já parou para observar que nas cidades grandes além da poluição ser maior o vento não circula como nas cidades menores? É normal o vento não ter tanta circulação em lugares onde há muitas construções de edifícios, mas você sabe qual o motivo disso? Existe um fenômeno que é responsável por esse acontecimento, ele chama-se inversão térmica. Vamos ver um pouco mais sobre esse assunto agora.

Inversão térmica

Foto: Reprodução

Definição

A inversão térmica é um fenômeno natural atmosférico que é responsável pela retenção do ar próximo à superfície em áreas que são cercadas por montanhas e serras, o que faz com que a circulação do vento diminua ou nem chegue a acontecer.

Além de dificultar a circulação do ar, quando esse fenômeno ocorre nas cidades grandes, acaba também fazendo com que a dispersão dos gases poluentes que são emitidos pelas fábricas e carros fique mais lenta. Com isso esses gases ficam quase imóveis pela falta de circulação do vento, tornando assim o ar mais impuro e causando muitos problemas respiratórios.

Como ocorre?

A inversão térmica, por ser um fenômeno natural acontece com ou sem a intervenção do homem. Mas este deveria ocorrer apenas em lugares que fossem cercados por serras e montanhas. Com a intervenção do homem, que emite gases poluentes na atmosfera, a inversão térmica passa a ocorrer também em grandes centros urbanos industrializados.

Para compreender melhor como esse fenômeno ocorre é importante saber que o ar quente é mais leve que o ar frio, ele é menos denso, o que faz com que ele tenha tendência a subir, enquanto o ar frio que é mais denso tende a descer.

A inversão térmica acontece quando o ar frio (que é mais denso) é impedido de circular por uma camada de ar quente (que é menos denso), em consequência disso ocorre uma alteração na temperatura. Quando a superfície aquece o ar em sua volta por causa da reflexão dos raios do Sol, esse ar que fica mais quente sobe e o ar que está mais frio desce, fazendo com que o vento se movimente e haja uma dispersão dos gases poluentes que ficam na atmosfera.

Quando os dias estão mais frios e a superfície não consegue aquecer o ar para fazer com que ele suba, e uma camada de ar quente acaba sendo criada acima desta fria. Como o ar frio, que é mais denso, já está abaixo do ar quente, a movimentação do ar acaba não acontecendo e isso faz com que a circulação do vento diminua e impede que os gases poluentes sejam dispersados.

Consequências

Nos lugares mais urbanizados e industrializados, a emissão de gases poluentes no ar é muito maior e mais intensa. Com a inversão térmica a poluição do ar fica ainda mais forte, pois uma das características desse fenômeno é potencializar a poluição.

Desta forma, a inversão térmica acaba afetando diretamente a população provocando muitos problemas respiratórios, irritação nos olhos e intoxicações. As pessoas que possuem doenças como asma, bronquite e enfisema pulmonar são as que mais sofrem.

Veja mais!