Publicado por André Luiz Melo

Natural do município de Taubaté, no interior de São Pulo, o ensaísta, contista e tradutor José Bento Renato Monteiro Lobato, mais conhecido como Monteiro Lobato, nasceu em 18 de abril de 1882. Ícone da literatura brasileira e formado em direito, esse paulista também atuou como promotor público.

Passados alguns anos de sua carreira como jurista, Lobato herdou do avô algumas terras e se transformou em um fazendeiro. A partir desse instante, começaria a sua vida de escritor. Diante da nova rotina, Lobato deu início as suas primeiras publicações, eram contos que, à época, chegavam aos leitores através de jornais e revistas.

Monteiro Lobato

Foto: Reprodução

Auge da carreira

Algum tempo depois, esses contos foram reunidos por Lobato numa série em Urupês, e se tornou uma das principais obras do autor. Foi a partir de Lobato que os livros brasileiros, até então editados somente em Lisboa ou Paris, passaram a ser publicados no Brasil. Nessa época, os livros infantis e didáticos passaram por importantes processos de renovação.

As obras de Lobato se massificaram, principalmente entre o público infantil, devido o autor ter disseminado um estilo de linguagem simples e instigante em que a fantasia e a realidade estavam sempre de mãos dadas. Não à toa que o escritor paulista passou a ser considerado o pioneiro da literatura infantil brasileira.

O Sítio

Entre seus principais escritos está a obra “O Sítio do Pica-Pau Amarelo”, que inclusive ganhou as telas da televisão nacional em formato de série e animação.

A história se concentrava em alguns personagens principais: Pedrinho, que Lobato se identifica como sendo ele quando criança; Emília, uma boneca de retalho com ideias e sentimentos próprios; Cuca, personagem que atua como a vilã da história e persegue a todos; Visconde de Sabugosa, uma sábia e inteligente espiga de milho; além do Saci Pererê e outras figuras que ilustram a obra.

Outros livros infantis

  • A menina do narizinho arrebitado – 1920 
  • Fábulas de Narizinho – 1921
  • Narizinho arrebitado(Reinações de Narizinho) – 1921
  • O marquês de Rabicó(Reinações de Narizinho) – 1922
  • A caçada da onça -1924
  • Jeca Tatuzinho – 1924
  • O noivado de Narizinho(Reinações de Narizinho, sob o título de “O casamento de Narizinho”) – 1924
  • Aventuras do príncipe(Reinações de Narizinho) -1928
  • O Gato Félix(Reinações de Narizinho) – 1928
  • A cara de coruja(Reinações de Narizinho) – 1928
  • O irmão de Pinóquio(Reinações de Narizinho) – 1929
  • O circo de escavalinho(Reinações de Narizinho, sob o título de “O circo de cavalinhos”) – 1929
  • A pena de papagaio(incluído em Reinações de Narizinho) – 1930
  • O pó de pirlimpimpim(incluído em Reinações de Narizinho) – 1931
  • Novas reinações de Narizinho – 1933
  • O museu da Emília(peça teatral inserida na obra “Histórias diversas”) – 1938

Frases ditas por Lobato

“De escrever para marmanjos já estou enjoado. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo.”

“É errado pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião.”

“O livro é uma mercadoria como qualquer outra; não há diferença entre o livro e um artigo de alimentação. […] Se o livro não vende é porque ele não presta.”

“Tudo tem origem nos sonhos. Primeiro sonhamos, depois fazemos.”

Veja mais!