Publicado por Lia Vieira

Certamente em algum momento, ou quem sabe em vários de sua vida, você já se pegou lendo um livro que contava uma história interessante, de fantasia ou ficção, enfim, de seu gênero favorito.

Aquele tipo de livro que realmente prende a sua atenção de tal maneira, que você não quer desprender os olhos da leitura, sempre na ansiedade para saber o desfecho de cada capítulo que se aproxima.

Já dentro de livros desenvolvidos por historiadores profissionais, que trabalham para levantar dados históricos e pesquisas, possuem como finalidade apresentar ao público uma narrativa, onde muitas vezes pode não ser tão confortável quanto o de um livro literário.

Percebemos então que a narrativa pode conter destinos de interesse diferenciados, como por exemplo, ter uma narrativa atraente dentro de um livro de literatura e a narrativa dentro de um livro produzido por um historiador. Concluímos então que a narrativa sempre irá aparecer em ambos os casos, em sua forma escrita.

Narrativa e história

Foto: Reprodução

Surgimento da narrativa histórica

A narrativa histórica realiza a articulação de acontecimentos e personagens, constituindo a trama da história.

A trama seria, por exemplo, à imagem de um tecido. Os acontecimentos e os personagens seriam como os “fios” que vão se entrelaçando e construindo o “tecido”, um texto, dotado de sentido.

A narrativa histórica existe em todo tipo de cultura ou civilização, no entanto a sua diferença ocorre na forma em que é desenvolvida a escrita, ou seja, em livros.

Narrativa oral da história

Antes do advento da escrita, culturas anteriores tentaram explicar a realidade que herdavam de seus antepassados através da narrativa oral, uma história que era contada de geração para geração.

Narrativa escrita da história

Tempos depois civilizações desenvolveram a escrita, passando a organizar as narrativas na estrutura de versos e em sequência de eventos.

Ao mesmo tempo que se narrava histórias grandiosas, como por exemplo, de heróis como Aquiles, o povo grego tentava dar sentido a sua própria história.

A epopeia é um tipo de poema épico ou lírico, de narração extensa, com uma coleção de efeitos, de dados históricos que foi utilizada de grande importância para as primeiras explicações em relação a origem das civilizações no planeta.

A narrativa histórica também nasce da necessidade de preservar grandes feitos, tanto de gregos quanto de povos estrangeiros, com a finalidade de não perder ou modificar suas histórias ao longo do tempo.

Heródoto – O pai da história

Segundo Heródoto, que é considerado o pai da história, dizia que os grandes feitos e acontecimentos, precisavam ser enredados numa narrativa para que fosse possível (estes fatos) serem apreciados pelas futuras gerações.

A importância da narrativa para a história

Percebemos que desde os tempos mais antigos, sempre houve uma preocupação com a importância da narrativa para a história.

Atualmente essa importância talvez não seja tão relevante para muitas pessoas, por conta da narrativa histórica ser uma leitura, muitas vezes maçante, cansativa e monótona.

Nestes casos, a dica é: busque realizar uma construção de enredo que faça sentido para você, tornando a leitura mais agradável, satisfatória e produtiva.

Veja mais!