Publicado por Débora Silva

Denomina-se “Nova República” ou “Sexta República Brasileira” o período da História do Brasil que se seguiu imediatamente ao fim do Regime Militar. Considera-se que a Nova República tem início no ano de 1985, com o fim do mandato do presidente e general João Batista de Oliveira Figueiredo, e caracteriza-se pela ampla democratização política e estabilização econômica do país.

Nova República

Foto: Reprodução

Antecedentes históricos

Desde 1964, o Brasil era governado por um sistema militar caracterizado pela repressão, com a perseguição a opositores do poder e restrição das liberdades fundamentais dos cidadãos brasileiros. A partir de 1973, a pressão social por maiores liberdades e fim da censura começou a aumentar e, em 1976, o então presidente Ernesto Geisel deu lento início a um processo de devolução de algumas liberdades ao povo.

Em 1979, o general do exército João Figueiredo foi eleito pelo Colégio Eleitoral brasileiro e, no seu governou, foi garantida a anistia geral a todos os perseguidos políticos, além de algumas reformas políticas e econômicas.

No entanto, a situação não estava agradando e pressões sociais lideradas pelo PMDB resultaram no movimento Diretas Já, com início em 1983, que foi uma série de manifestações populares que pediam as eleições diretas para presidente da República.

Em 1984, o Colégio Eleitoral realizou eleições indiretas para presidente, optando pelo candidato oposicionista Tancredo Neves, que viria a suceder o último presidente militar, João Figueiredo. Tancredo Neves faleceu e coube ao seu vice-presidente, José Sarney, assumir a presidência em seu lugar.

Os presidentes da Nova República

O governo de José Sarney destaca-se em dois pontos: a aproximação com a Argentina, o que resultaria na formação do Mercosul, e a promulgação da Constituição de 1988, que instaura um Estado Democrático de Direito e uma república presidencialista.

Após o mandato de Sarney, ocorreram as primeiras eleições diretas em quase trinta anos, tendo como resultado a eleição de Fernando Collor de Mello. A gestão de Collor enquanto presidente foi marcada por polêmicas, como as medidas adotadas no “Plano Collor” e suspeitas de corrupção.

Itamar Franco, vice, subiu ao poder para completar o mandato de Collor e escolheu Fernando Henrique Cardoso para ocupar o cargo de Ministro da Fazenda. Nessa época, foi elaborado o Plano Real, que conseguiu reprimir a alta de preços após um longo período de inflação.

Fernando Henrique Cardoso se elegeu ao cargo de presidente do Brasil e garantiu dois mandatos.

Em 2003, Luís Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do nosso país por 2 mandatos, governando até o início de 2011. No governo de Lula destacaram-se a política externa, os programas de auxílio à população carente e conquistas econômicas como o pagamento da dívida externa, passando a ser credor internacional.

Em 2011, o PT continua no poder com Dilma Rousseff, reeleita atualmente para governar o Brasil por mais quatro anos.

Veja mais!