Publicado por André Luiz Melo

O interesse dos portugueses em explorar as riquezas das terras brasileiras, a partir de 1500 (entre os séculos XV e XVI), resultou em uma formação urbana muito pouco desenvolvida durante o período colonial. A corte portuguesa não deu atenção ao povoamento da colônia e o surgimento dos centros urbanos.

Com a intenção de exportar para Portugal as matérias e mercadorias aqui exploradas, os portugueses se fixaram no litoral brasileiro e, com isso, poucas cidades foram construídas durante esse período. Não havia preocupação em desenvolver as terras, mas apenas de explorá-las.

O espaço urbano brasileiro na era colonial

Foto: Reprodução

Território no Brasil Colônia

Inicialmente, poucas cidades se formaram, destaque para Salvador (BA) – que era até então a capital do Brasil -, além do Recife e Olinda (PE). À época do Brasil Colônia, eram mais comuns as grandes fazendas e engenhos. Nesses espaços, viviam os senhores com suas famílias, padres, escravos e grupos de pobres livres que moravam nos arredores dos engenhos.

A partir da pecuária, o interior do Brasil foi sendo descoberto e habitado durante o período colonial. Aldeia, vilas e povoados foram surgindo para que servissem de ponto de apoio, de descanso e de comércio para os condutores dos rebanhos que transportavam mercadorias para essas regiões.

Regiões mineradoras

Já a descoberta do ouro possibilitou o desenvolvimento de regiões mineradoras como Vila Rica – atualmente Ouro Preto -, Caeté, Sabará, Vila do Carmo e São João Del Rei, entre outras. Com isso, a corte portuguesa aumentou a fiscalização nessas áreas para que o contrabando fosse evitado.

A migração de pessoas para essas regiões teve como consequência o aumento populacional e a construção de edificações com arquitetura bem trabalhada, suntuosas igrejas e belos casarões.

O comércio, a economia e a cultura desenvolveram centros comerciais nessas regiões para que servissem aos seus habitantes, o que resultou numa intensa importação de matérias produzidas no continente europeu.

Com isso, a Vila de São Sebastião (RJ), em 1763, por estar próximo dessas áreas, se transformou na sede do governo brasileiro. Todavia, nesse período o Brasil ainda era muito pouco urbanizado, mesmo após os 60 anos da era republicana, o que lhe caracterizava ainda como um país ruralista.

Veja mais!