Publicado por Katharyne Bezerra

Atualmente, as relações entre japoneses e brasileiros são consideradas pacíficas e harmoniosas. Porém, nem sempre foi assim. Durante parte do século XIX, o Japão passou por dificuldades relacionadas ao alto índice demográfico e por isso precisava enviar parte da população para outros países.

Um dos escolhidos foi o Brasil, que apesar de recepcionar os primeiros imigrantes, passou a vê-los como ameaça após um período de tempo. Para os brasileiros, a vinda dos japoneses para o país limitava-se à mão de obra barata nos cafezais de São Paulo e norte do Paraná.

A chegada dos primeiros imigrantes

Diante do aumento da população japonesa, o país se viu obrigado a estabelecer uma política de emigração com outros países. Iniciada na era Meiji, em 1868, estas relações do governo japonês visavam conter o índice demográfico da população do Japão.

O processo da imigração japonesa

Foto: Pixabay

Acreditando que no Brasil haveriam estruturas para atender aos japoneses, o governo do Japão estabeleceu uma relação com o estado de São Paulo. E mesmo que este último não fosse muito favorável a este tipo de acordo, acabou levando a diante este processo.

Mas, se de um lado o Japão resolvia o problema da população, do outro o Brasil recebia boas quantidades de mão de obra barata para trabalhar nos cafezais.

Assim, à bordo do navio Kasato-Maru, os primeiros 781 emigrantes japoneses, com destino ao Brasil, saíram do porto de Kobe em 28 de abril de 1908. Chegaram em solos brasileiros no dia 18 de junho de 1908, desembarcando em Santos.

Problemas enfrentados pelos japoneses no território brasileiro

Antes de chegarem ao Brasil, os japoneses acreditavam que após trabalhar por um certo tempo, eles iam enriquecer e então poderiam voltar para a nação de origem. Contudo, ao se depararem com as condições de trabalho estabelecidas nos cafezais, surpreenderam-se.

Além da pouca remuneração pelo trabalho, os japoneses desempenhavam suas atribuições em lugares com pouca higiene. Havia também o choque de culturas, línguas e costumes. Outro grande problema enfrentado pelos imigrantes era a falta de oportunidade de crescer dentro do país, não podiam frequentar escolas e nem ter outro trabalho que não fosse nos cafezais.

Estas dificuldades encontradas pelos japoneses eram frutos da indignação de grande parte da população brasileira. Os nativos acreditavam que os imigrantes eram ameaças para o Brasil.

Conciliação dos brasileiros e japoneses

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a relação entre brasileiros e japoneses foi amenizada. A partir de então houve uma reconciliação destes povos. Desta forma, o imigrantes passaram a ter direitos no Brasil, entre eles o ingresso em escolas.

Já na década de 60, os japoneses passaram a ter seus próprios trabalhos. As famílias dos imigrantes se dividiam em quitandeiros, costureiras, cabeleireiras, feirantes e tintureiros. Nos anos 70, casamentos entre brasileiros e japoneses já era algo natural. Atualmente, é possível dizer que fora do Japão, o Brasil é o país que abriga a maior população japonesa.

Veja mais!