Publicado por Robson Merieverton

Para um conjunto de ilhas aglomeradas em área próxima, dispostas no oceano, lago ou rio, dá-se o nome de arquipélago. Geralmente, a denominação é aplicada ao conjunto de ilhas que derivem da mesma formação geológica, seja ela vulcânica, continental ou coralina.

Alguns arquipélagos são famosos por serem explorados turisticamente, enquanto outros por suas normas de preservação rígidas. Os principais arquipélagos são identificados em mar aberto. No Brasil, por exemplo, existe grande concentração dessas formações.

Classificação para os arquipélagos

Como foi dito anteriormente, dependendo da característica do arquipélago, ele pode ser classificado por três diferentes maneiras: vulcânica, continental ou coralina. A partir de agora, conheça um pouco mais sobre cada uma dessas formações:

O que é um arquipélago e quais suas classificações

Foto: depositphotos

Arquipélagos vulcânicos

Como o próprio nome já sugere, a formação das ilhas que formam o arquipélago são de origem vulcânica, ou seja, a partir da erupção de vulcões. Na grande parte dos casos, os vulcões estão localizados em solo marinho. Com as constantes erupções, a larva vai se acumulando, resultando na formação de grandes áreas.

Essas áreas, por sua vez, também sofrem com a ação do tempo e, sobretudo, dos elementos naturais. Com o passar dos anos, outras erupções são identificadas. Com isso, a formação acaba avançando, ganhando mais corpo e características próprias.

Arquipélagos continentais

Esse tipo de formação é originário de pequenos fragmentos que se desprenderam do continente a partir da ação das placas tectônicas e avanço das eras geológicas. Sua extensão territorial também chama atenção, já que, na maioria dos casos, são relativamente maiores que a maioria dos arquipélagos conhecidos.

Essas formações estão próximas a costa, diferente de outros conjuntos de ilhas, que se localizam a quilômetros da praia.

Arquipélagos coralíneos

Os arquipélagos que seguem essa denominação são formados por corais. Na maioria das vezes os recifes de corais se prendem as rochas submersas, o que acaba dando origem as camadas de rochas coralíneas.

No entanto, existe outra explicação para a formação desses arquipélagos em específico. Formulada por Charles Darwin, essas áreas sofrem interferência dos movimentos das ondas e correntes marítimas. Em contato com o exoesqueleto dos corais, as formações geológicas vão se moldando ao longo dos anos.

No Brasil

O Brasil possui mais de 10 arquipélagos em suas mediações. Os mais conhecidos pela raridade e beleza são os de Fernando de Noronha, Abrolhos e Anvilhanas. O primeiro, Fernando de Noronha, está localizado a 545 km do Recife, capital de Pernambuco, estado o qual o arquipélago pertence, e é formado por um conjunto de 21 ilhas.

Já Abrolhos é constituído por cinco ilhas: Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Sueste e Guraita. O complexo está distribuído em 913 km2 distribuídos no Oceano Atlântico. A cidade mais próxima é Caravelas, na Bahia. Quanto à Anvilhanas, destaca-se como um dos maiores arquipélagos brasileiros, com 400 ilhas em toda a sua extensão.

Arquipélagos pelo mundo

Ao redor do mundo, muitos outros arquipélagos se destacam, seja pela sua beleza, importância e tamanho. Veja o nome de alguns deles: Indonésia, Japão, Filipinas, Tonga, Nova Zelândia, Cingapura, Bahamas, Grécia, Malvinas, Malta, Cuba, Galápagos e Cabo Verde.

Veja mais!