Publicado por Katharyne Bezerra

Quando procuramos o que significa a palavra “montanha” no dicionário, não descobrimos nenhuma novidade. Por exemplo, no Aurélio montanha é “1 Monte elevado e de cume extenso. 2 Grande altura. 3 Grande volume; montão.” É visível que essas estruturas são enormes, mas afinal, como elas se originam?

As Montanhas

Logo de início é importante saber que montanha é diferente de serra, tendo em vista que a primeira possui uma altura bem superior a segunda. Além disso, o topo delas são diferentes, sendo pontiagudos e arredondados, respectivamente.

Nas montanhas o clima é bem mais rarefeito, isso quer dizer que, no cume dos montes o frio é predominante, isso ocorre,  por haver uma relação de altitude e temperatura. Quanto mais alto, menores serão as temperaturas. Estima-se que a cada 150 metros de elevação se perde 1ºC.

A formação dessas estruturas acontece de três maneiras:  atividade tectônica, ação vulcânica e desgaste de relevo.

Nas montanhas, o clima é bem mais rarefeito

Foto: Reprodução/ internet

Formação geológica das montanhas

Atividade tectônica

As placas tectônicas são estruturas localizadas debaixo da terra e que se movimentam. Existem três tipos de movimentos: transformantes, ocorrem quando se deslocam unilateralmente, mas ainda assim há uma atrito entre elas, e por isso são responsáveis pelos terremotos; divergentes, esses ocorrem quando elas se afastam uma da outra provocando a emergência do magma; convergentes, esses movimentos são responsáveis pela formação das montanhas, uma vez que as placas se chocam diretamente uma contra a outra. Sendo assim, quando as placas se deslocam uma em direção a outra, causando um impacto entre elas, acabam dando origem as montanhas.

Ação vulcânica

Após várias erupções de vulcões, larvas que são acumuladas em regiões próximas a eles acabam formando as estruturas montanhosas. É claro que esse processo não se dá da noite para o dia, é preciso muito tempo, e refiro-me a milhares de anos. Depois das erupções, as lavas escorrem e se solidificam em alguma região. Esse acúmulo vai ajudar a formar o que hoje conhecemos como montanhas.

Desgaste do relevo

Apesar de ser um método raro, comparado as outras duas ações, ainda assim ocorre e é a origem de diversas montanhas. Nessa situação há um desgaste do relevo e um acúmulo dos seus detritos. Também nessa ação, para que as montanhas venham a ficar da maneira como são hoje, é preciso um processo longo.

Conjunto de montanhas

Quando há um conjunto de montanhas, e elas são próximas umas das outras, damos o nome de cadeia montanhosa ou cordilheira. Existem algumas muito famosas por todo o mundo, como os Alpes na Europa, a Cordilheira dos Andes na América do Sul, as Montanhas Rochosas na América do Norte e a Cordilheira do Himalia na Ásia. Essa última é especial pois é onde se localiza a montanha mais alta do mundo, chamada de Monte Everest, que possui 8.848 metros.

Montanhas brasileiras

No Brasil, é possível encontrar montanhas mais jovens. A maior do território brasileiro é localizada no norte da Amazonas e recebe o nome de Pico da Neblina, e possui 2.994 metros de altitude.

Possui uma variedade de vegetação de tamanhos diversos, desde pequenas a grandes árvores. E sua temperatura no topo, chega a 20° C durante o dia, e à noite cai para 6°C.

Veja mais!