Publicado por Natália Petrin

Relatar nada mais é do que escrever a respeito de um determinado acontecimento, dando mais destaque aos aspectos relevantes. Estes são usados em diversas situações, como empresas e até mesmo na escola.

Em algumas situações, precisamos elaborar relatórios para relatar por escrito o que aconteceu em determinada atividade, como um experimento escolar, por exemplo. Quando passamos por aquela experiência da germinação do feijão em um copinho com algodão, por exemplo, podemos elaborar um relatório diário sobre como aquele grão se desenvolveu no período analisado.

Como é feito o relatório?

O relatório, assim como qualquer outro tipo de redação, tem características precisas. Antes de mais nada, é preciso entender que o relatório deve ser feito em linguagem em padrão formal, ou seja, sem usar abreviações, gírias e erros ortográficos, certo?

Lembre-se também que qualquer texto precisa ter um título e, tendo escolhido, passe para o primeiro parágrafo. Neste você deve colocar todas as informações técnicas, como objetivo da experiência, quem foi o professor que solicitou, além dos materiais usados para o experimento, entre outras informações que julgar válidas ou que forem solicitadas pelo professor.

O relatório e suas características

Foto: depositphotos

A partir de então, você irá relatar o que viu durante o período de experiência. Por exemplo, falando sobre como se deu o crescimento do broto de feijão, o que observou com o passar dos dias, o que precisou fazer para esse desenvolvimento acontecer, entre outras coisas.

Depois disso, é essencial lembrar-se de um detalhe: a conclusão. Você deve encerrar o texto com uma conclusão que demonstrará o que você aprendeu com a experiência realizada. Nesse aspecto, coloque os pontos positivos e negativos, as dificuldades, entre outras coisas.

Outros detalhes

Em alguns casos, você pode – se isso já fizer parte de sua rotina escolar, ou for solicitado pelo professor –, elaborar gráficos, tabelas, quadros informativos e dados numéricos quanto a experiência. Esses detalhes vão variar de acordo com o assunto que é abordado, assim como quem solicitou que fosse feito.

Existem, no entanto, normas pautando esse tipo de documento, estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que tem foco em partes principais como o número de páginas, folha de rosto, sumário, sinopse, desenvolvimento e conclusão, assim como qualquer trabalho escolar.

Mas não se preocupe: isso vai variar, no ambiente escolar, de acordo com o que o professor solicita. Isso pode ser muito mais simples em determinados casos.

Veja mais!